Preservando sua história da família para o futuro

Preservando sua história da família para o futuro

Como genealogista, você investe incontáveis horas e um esforço incomensurável para documentar e preservar a história de sua família para garantir que as histórias de seus antepassados continuem vivas. Mas o que acontecerá quando chegar a sua hora? Como você pode ter certeza de que todas as informações que você trabalhou tão arduamente para organizar serão transferidas intactas para a próxima geração depois que você partir?

Esta é uma questão importante sobre a qual não falamos com frequência. Ninguém gosta de pensar na própria morte. Mas, assim como em outras áreas da vida em que planejamos um futuro sem nós – redigindo um testamento, adquirindo um seguro de vida, nomeando um padrinho para uma criança – precisamos pensar sobre isso se quisermos que nossa pesquisa de história da família sirva ao seu propósito final .

Recentemente, tivemos uma sessão no Facebook Live com Thomas Macentee sobre esse assunto. Thomas é um especialista no campo da tecnologia genealógica e um de nossos palestrantes convidados regulares. Você pode assistir o vídeo completo aqui, mas neste post, gostaríamos de fornecer um resumo dos pontos importantes que o Thomas fez e as dicas e conselhos excelentes que ele forneceu nesta sessão.

Você precisa de um plano

Thomas começou sua sessão apontando que temos pouco controle sobre o que acontece com nossos bens, tanto físicos quanto digitais, depois que partimos. O melhor que podemos fazer é deixar nossos desejos claros para as pessoas que provavelmente cuidarão de nossos negócios e tornar mais fácil para elas realizarem esses desejos.

Também precisamos ter certeza de que qualquer tecnologia que estamos usando para preservar as informações resistirá ao teste do tempo. Cada forma de tecnologia possui pontos fortes e fracos. Fotografias e documentos em papel podem ficar danificados ou desbotados; os dispositivos de memória que usamos para salvar arquivos digitais podem se tornar desatualizados e obsoletos, e os arquivos podem ser facilmente excluídos por acidente. A seguir, entraremos em detalhes sobre como dar aos seus documentos e arquivos a melhor chance de preservação.

Criação de um invetário

Se você deseja preservar sua pesquisa genealógica, primeiro você precisa saber exatamente o que você tem. Seus sucessores não podem preservar itens que não conhecem ou não sabem encontrar!

Faça um inventário de todos os materiais que você coletou, tanto físicos quanto digitais, e mantenha essa lista em um lugar de fácil acesso. Certifique-se de que a pessoa com quem você deseja lidar com esses itens saiba sobre a lista e como acessá-la. Além disso, certifique-se de atualizar a lista de tempos em tempos para incluir novos materiais.

Preservando itens físicos

Os itens físicos relacionados à genealogia podem incluir:

  • Fotos, albúns, cartas
  • Fichários e pastas com informações impressas ou manuscritas
  • Slides, negativos, fitas, CDs, disquetes
  • Dispositivos para armazenar arquivos digitais, como pen drives ou HD’s externos

É sempre uma boa ideia manter esses itens bem etiquetados e organizados, mas é especialmente importante no contexto de preparação para o futuro, porque quem vai passar por esses itens depois que você se for pode não ser um genealogista e pode não compreender seu significado.

Doando itens para sociedades, bibliotecas e arquivos

Se você tiver algum item de valor histórico, pode optar por doá-lo a uma sociedade histórica, uma biblioteca local, um arquivo ou um museu quando terminar de usá-lo. Pode parecer simples legar esses itens para a organização em seu testamento, mas Thomas aponta que pode ser um pouco complicado para esses repositórios aceitarem doações. Se você quiser ter certeza de que seus itens serão recebidos, aceitos e devidamente arquivados e armazenados, Thomas recomenda realizar as seguintes etapas:

  • Entre em contato com a organização, de preferência por telefone, e pergunte sobre suas políticas de doação.
  • Informe os membros da sua família sobre seus planos para a doação.
  • Inclua uma doação em dinheiro para cobrir quaisquer custos de processamento. Aceitar uma doação não é apenas uma questão de colocar uma caixa na prateleira – os itens precisarão ser catalogados, digitalizados, arquivados e armazenados de acordo com as políticas da organização, e isso custa dinheiro. Uma estimativa aproximada dos custos de processamento é de $50 dólares por metro linear de espaço na prateleira. Outra opção é vender alguns dos itens para arrecadar dinheiro para a preservação do restante do acervo.

Acima de tudo, Thomas recomenda que você considere doar seus itens agora, em vez de esperar até depois de sua morte. Ele ressalta que esta é a melhor maneira de garantir que seus itens sejam usados exatamente como você deseja e recebam o nível mais profissional de cuidado e proteção. Bibliotecas, arquivos e museus geralmente têm recursos, instalações, ferramentas e condições ideais para a preservação de artefatos e documentos históricos.

Sim, você pode ter algumas fotos e documentos históricos que não têm preço para você, mas você realmente precisa manter os originais? Se você criar uma digitalização de alta resolução e imprimi-la profissionalmente, ainda poderá desfrutar da mesma imagem – sem mencionar todos os benefícios da digitalização, que exploraremos a seguir – ao mesmo tempo em que garante que o original seja preservado com segurança.

Preservando materiais digitais

Os materiais digitais podem incluir:

  • Árvores genealógicas e perfis online
  • GEDCOMs ou arquivos de banco de dados de genealogia
  • Fotos e documentos digitalizados
  • Escritos digitais, incluindo quaisquer artigos, arquivos ou postagens de blog que você escreveu
  • E-mails de e para outros pesquisadores
  • Postagens de mídia social

Thomas recomenda fazer backup de todos os materiais digitais em dois locais: na nuvem (ou seja, na Internet) e em um HD externo. Para armazenamento em nuvem, Thomas recomenda o uso de um serviço de armazenamento seguro e confiável, como o Dropbox. Para um disco rígido externo, ele recomenda o uso de uma unidade de estado sólido em vez de uma unidade de disco rígido, pois eles não têm peças móveis e, portanto, têm maior probabilidade de durar.

Para materiais digitais que já estão online, como sua árvore genealógica online ou postagens de mídia social, ainda é uma boa ideia fazer o backup em um local separado por segurança.

Crie uma lista de todos os sites que contêm seus materiais junto com as credenciais de login e mantenha essa lista em um lugar seguro. Você pode imprimi-lo e guardá-lo com papéis de planejamento imobiliário ou armazená-lo online protegido por uma senha (desde que certifique-se de que seu executor tem a senha). Se você habilitou a autenticação de dois fatores para qualquer uma de suas contas, veja como o executor pode acessar sua conta caso não consiga acessar seu telefone celular. Alguns serviços fornecem códigos de uso único que você pode anotar e manter em seu arquivo mestre junto com as credenciais de login.

Sucessão digital

Alguns sites têm um recurso que permite que membros da família se apropriem de uma conta quando o proprietário dela falecer. Verifique as políticas dos sites que armazenam seus materiais de genealogia digital, incluindo plataformas de mídia social, para ver como isso pode ser organizado. Mesmo se você não tiver muito material valioso nesses sites, seu sucessor poderá pelo menos desativar ou remover sua conta, se desejar.

O MyHeritage permite que membros da família de primeiro grau se apropriem da conta de uma pessoa falecida. Clique aqui para saber como.

Manter seus backups digitais atualizados

Existem muitas vantagens na digitalização de fotos e documentos históricos. A digitalização torna esses itens muito mais fáceis de preservar e compartilhar, e você pode até usar a tecnologia digital para aprimorar e melhorar suas fotos e documentos – como o Photo Enhancer do MyHeritage, por exemplo.

As principais desvantagens da digitalização são a facilidade de perda e destruição dos arquivos e a rapidez com que a tecnologia atual se torna obsoleta. Se você ainda armazena fotos e arquivos em disquetes ou mesmo CDs, agora é a hora de transferi-los para tecnologias mais atuais, como nuvem e discos rígidos externos, conforme recomendado acima. Neste momento, você pode comprar um leitor de disquete que você pode conectar ao seu computador e usar para transferir arquivos, mas esses dispositivos podem não estar mais disponíveis alguns anos depois. Thomas acredita que o armazenamento em nuvem provavelmente terá a maior longevidade entre as tecnologias de armazenamento de dados que existem hoje – mas você nunca sabe. Fique de olho nas tecnologias e tendências atuais em armazenamento de dados e certifique-se de que seus arquivos ainda estarão acessíveis pelo maior tempo possível.

Usando o MyHeritage para preparar sua pesquisa para o futuro

Existem várias maneiras de usar MyHeritage para ajudar a preparar sua pesquisa de história da família para o futuro.

O site de sua família no MyHeritage permite que você armazene e organize informações e materiais digitais, como documentos e fotos online. Você também pode convidar membros da família para visualizar e editar seu site. Você pode até promover membros da família a gerentes do local, o que permitirá que eles alterem as configurações do local, aceitem ou rejeitem descobertas e correspondências, baixem um GEDCOM de sua árvore e excluam sua árvore, entre outros privilégios. Dar aos membros da família acesso à sua árvore agora garantirá que eles possam se beneficiar das informações contidas nela, mesmo quando você não estiver mais por perto.Clique aqui para saber como promover membros do site a gerentes do site.

Como mencionado acima, o MyHeritage também pode transferir a propriedade de uma conta para um membro da família de primeiro grau de um proprietário de site falecido.

Tenha essa conversa agora

Não é divertido pensar sobre o que vai acontecer depois que você morrer, e é ainda menos divertido discutir essa eventualidade com seus entes queridos … mas toda essa preparação será em vão se os membros da família de quem você depende para preservar seu trabalho não souberem o que fazer! Fale com eles agora sobre seus planos e desejos.

Ter essas conversas e fazer esses preparativos pode não ser fácil, mas é a melhor maneira de garantir que todo o trabalho que você dedicou à preservação da história da sua família não seja perdido. Se tudo correr bem, seus descendentes poderão desfrutar dos frutos do seu trabalho e apreciarão profundamente tudo o que você está fazendo agora para levar o legado de seus ancestrais para o futuro.