Príncipe Philip e a genealogia genética

Príncipe Philip e a genealogia genética

Comentários

MyHeritage gostaria de estender nossas mais profundas condolências a Sua Majestade a Rainha, a família real e a nação da Grã-Bretanha, pela perda do Príncipe Philip, o Duque de Edimburgo na última sexta-feira. Explore a árvore da família real britânica no MyHeritage para saber mais sobre a história da família do Príncipe Philip.

Como quis o destino, em 12 de abril, hospedamos uma sessão do Facebook Live com Caroline Gurney, ggenealogista e pesquisadora histórica, denominada “Você tem parentesco com a realeza?”. Caroline dedicou alguns minutos no início de sua sessão para falar sobre o Príncipe Philip no contexto da história da família e da pesquisa de DNA. Queríamos compartilhar o que ela nos revelou.

Caroline mencionou que muitos ficaram surpresos ao descobrir que Philip era, na verdade, um primo próximo da Rainha. Elizabeth II e Philip eram descendentes da Rainha Victoria. Não é incomum para a realeza se casar com seus primos, já que durante a maior parte da história, os membros da família real só podiam se casar com pessoas de sua classe, e havia um número limitado de pessoas de linhagem real para escolher. Portanto, não é particularmente surpreendente que Philip também fosse descendente de Jorge II, o czar Nicolau I da Rússia e o rei Cristian IX da Dinamarca.

Slide de Caroline ilustrando as conexões da família real do príncipe Philip

O príncipe Philip era conhecido por seu senso de humor mordaz e uma vez foi questionado, durante os anos 1960, se ele estaria interessado em visitar a Rússia – que na época estava sob o domínio da União Soviética. Philip respondeu: “Eu gostaria muito de ir para a Rússia, embora os bastardos tenham assassinado metade da minha família”.

Ele provavelmente estava se referindo aos Romanov, que foram capturados e assassinados por revolucionários comunistas em julho de 1918.

Anos depois, em 1991, os corpos foram descobertos em uma sepultura sem identificação em Ekaterinburg que os especialistas acreditavam ser os dos Romanov que foram assassinados naquela noite: o czar Nicolau II, a czarina Alexandra e seus 5 filhos. Os pesquisadores procuraram confirmar suas identidades por meio do DNA – mas como você pode confirmar a identidade do DNA de uma figura histórica se você não tem uma amostra de DNA para compará-la?

A resposta, assim como um genealogista tentando identificar uma correspondência de DNA desconhecida, é trabalhar por meio de parentes conhecidos. A czarina era neta da rainha Vitória – tia-avó de Philip – e isso significava que ela compartilhava o DNA mitocondrial com o príncipe Philip. Então o príncipe Philip contribuiu com uma amostra de sangue e seu DNA foi comparado ao dos restos mortais e de outros membros da família. Isso permitiu aos pesquisadores confirmar virtualmente, sem sombra de dúvida, que os corpos eram de fato dos Romanovs assassinados.

Outro dado importante sobre a história da família do príncipe Philip é que sua mãe, a princesa Alice de Battenburg, ajudou a resgatar judeus durante o Holocausto e foi reconhecida como Justa entre as Nações por suas ações.

Você pode assistir a Live completa do Facebook com a Caroline aqui.

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado