Detesta coentro? Seus genes podem ser os culpados

Comentários

Para alguns, tem gosto de comida fresca e cítrica.

Para outros, tem gosto de detergente de louça.

O coentro é uma erva com folhas verdes nativa do Irã. De chutneys indianos a saladas chinesas, de marinadas do Oriente Médio a molhos mexicanos, o coentro é adorado na culinária de todo o mundo … exceto por uma certa fatia da população que não suporta o tempeiro.

Eles dizem que não há como explicar o sabor, mas quando se trata da mais controversa das ervas, o debate pode estar enterrado muito mais do que nossas papilas gustativas. Seu amor ou ódio pelo coentro pode estar embutido em seu DNA.

Hmmm, aldeído

Embora tendamos a associar nossa percepção do sabor às papilas gustativas, há outros receptores sensoriais envolvidos – o mais importante, nosso olfato. Se você já teve um nariz entupido, você sabe disso. A comida tem um gosto muito mais suave quando não podemos sentir o cheiro dela.

Isso também funciona no oposto: um certo cheiro forte pode influenciar se gostamos da comida que estamos degustando.

E é aqui que a genética entra em jogo. Em um estudo de 2012 publicado na revista Flavor, Eriksson et al identificoram uma variante genética localizada em um agrupamento de genes de receptores olfativos que influenciam a forma como percebemos o cheiro de “sabão”. Um desses genes, o OR6A2, é responsável por um receptor sensível a uma substância química chamada aldeído – uma substância química também encontrada no coentro. Pessoas com essa variante genética são particularmente sensíveis ao cheiro de aldeído. Então, quando eles são servidos de coentro, seus sentidos são dominados pelos componentes “ensaboados” da erva.

Mas qual é a real culpa dos genes?

Apesar dessa descoberta, Eriksson et al escreveram que a herdabilidade da detecção de cheiro de sabão no coentro é baixa: menos de 10%. “É possível que … não haja um forte componente genético na preferência do coentro”, eles escrevem.

As preferências alimentares em geral podem ser influenciadas por muitos fatores, e muitos deles são ambientais. Sabores fortes e especiarias que são populares em uma cultura podem ser repugnantes para pessoas de uma cultura diferente, e isso pode ser em grande parte uma função do que as pessoas estão acostumadas e quais alimentos estão disponíveis em suas regiões nativas. Os fetos até desenvolvem preferências alimentares no útero com base na dieta de suas mães!

Coentro em diferentes culturas

Um estudo de Mauer & El-Sohemy publicado na revista Flavor em 2012 examinou o fenômeno da aversão ao coentro em vários grupos etnoculturais. Eles descobriram que a prevalência de não gostar de coentro variou de 3% em alguns grupos a 21% em outros grupos. 21% dos asiáticos, 17% dos caucasianos, 14% das pessoas de ascendência africana, 7% dos sul-asiáticos, 4% dos hispânicos e 3% dos habitantes do Oriente Médio não gostam de coentro.

É interessante notar que em culturas onde o coentro é usado de forma muito liberal – como as cozinhas da América Latina e do Oriente Médio – a prevalência de aversão ao coentro é bastante baixa. Pode muito bem ser que o componente genético da preferência do coentro entre em jogo aqui.

Os odiadores de coentro podem ser convertidos?

Se o próprio conceito de coentro te enjoa, pelo menos você está em boa companhia. A famosa Julia Child disse que nunca pedia pratos com ele e que, se ela visse na comida, pegaria e jogaria no chão!

A pesquisa mostra, no entanto, que pode ser possível para as pessoas que odeiam coentro superar sua aversão. Um estudo de 2010 por Quynh et al, publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, sugeriu que esmagar o coentro acelera o processo de quebrar o aldeído, o produto químico que faz os odiadores do coentro engasgarem. Isso pode significar que esmagar a erva pode torná-la mais palatável para eles. O redator de culinária do New York Times, Harold McGee, sugeriu que pestos leves combinando ervas amassadas com nozes, azeite, alho e um queijo picante podem ser um bom lugar para começar.

Em qualquer caso, não está claro se seus genes são os culpados. Mas existem muitos outros segredos para desvendar em seu DNA! Faça um teste do MyHeritage DNA para começar a sua jornada de descobertas!

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado