Através do MyHeritage, uma bisavó é reunida com tios e tia que ela nunca soube que existia

Comentários

Shona Wise nasceu em Edimburgo, Escócia, e imigrou para Perth, Austrália com sua família quando era criança. Ela sempre ficou intrigada com a história de sua família – ela sabia que sua mãe tinha nascido fora do casamento na Escócia em 1937, mas nem ela nem sua mãe sabiam a identidade do pai biológico de sua mãe.

Shona's mother

Mãe de Shona

Agora mãe de 4, avó de 12 e bisavó de 2, era importante para Shona que seus filhos e os filhos deles soubessem sobre sua herança, então ela pediu algumas certidões de nascimento. Quando a certidão de nascimento de sua mãe chegou, ela teve uma surpresa: o pai biológico de sua mãe estava listado nela – sob seu nome completo.

Armada com essas informações, Shona começou a pesquisar (com a ajuda de sua cunhada). Seu avô biológico tinha um nome do meio incomum, o que o tornou um pouco mais fácil de encontrar. Depois de alguma pesquisa, Shona encontrou uma árvore genealógica no MyHeritage que listava esse nome exato – e o usuário que construiu a árvore estava morando na Escócia.

Com alguma hesitação, Shona decidiu enviar uma mensagem ao usuário explicando o que havia descoberto. Ela mencionou na mensagem que se ele não quisesse responder, ela entenderia.

Mas alguns dias depois, ele escreveu de volta. Descobriu-se que esse homem era filho da pessoa que Shona acreditava ser seu avô biológico. Cerca de uma semana depois, ele compartilhou uma fotografia de seu pai. Shona estava chocada. “As semelhanças com um dos meus filhos eram fantásticas!” ela exclama.

Após cerca de 9 meses se correspondendo, Shona e seu novo contato decidiram fazer um teste de DNA para confirmar seu relacionamento de uma vez por todas.

Cada um deles recebeu seus kits de teste, esfregou suas bochechas e enviou seus testes para o laboratório.

“A espera foi excruciante”, lembra Shona. “Meus resultados chegaram primeiro sem nenhuma correspondência e, em seguida, alguns dias depois, recebi um e-mail … Eu estava tão nervosa que demorei 2 dias para abri-lo.”

Quando ela finalmente o abriu, os resultados foram exatamente os esperados: o usuário que ela contatou era seu tio, e o homem na fotografia que ele havia enviado era seu avô.

“Eu tinha encontrado a família da minha mãe”, diz ela. “Meu irmão e eu agora temos uma tia e um tio morando na Escócia e um tio morando em Melbourne, que imigrou para a Austrália em 1966 com sua família.”

“Imagine só – mamãe tinha um meio-irmão que morava do outro lado do mesmo continente e não sabia!” diz Shona.

Acontece que a tia de Shona na Escócia fez uma extensa pesquisa familiar que remonta a 6 gerações, até a década de 1720.

Desde a descoberta, Shona e sua família encontraram seus tios e tias e alguns de seus primos.

Shona's uncles and aunt

O tio e a tia de Shona

“Meu irmão e eu crescemos pensando que não tínhamos tias ou tios, pois nossos pais eram filhos únicos”, diz Shona. “Estamos muito satisfeitos!”

“Nossa mãe sempre achou que faltava algo em sua vida”, continua Shona. “Bem, nós encontramos o elo perdido. Meu único arrependimento é que mamãe não está mais conosco para finalmente conhecer sua família. Ela morreu em 1972 com 34 anos. ”

Que conselho Shona dá para as pessoas que estão procurando os elos que faltam em suas próprias famílias? “Pesquise uma linha de cada vez e mantenha cópias impressas do que descobrir”, diz ela. “Quando comecei, estava tentando fazer todos ao mesmo tempo, e ficou muito confuso.”

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado