Calvície: a verdade sobre como ela é herdada

Comentários

Se muitos dos homens mais velhos da sua família se distinguem por um pedaço careca brilhante em suas cabeças, os parentes mais jovens do sexo masculino podem estar se perguntando se é apenas uma questão de tempo para acontecer com eles também. Há uma afirmação comum de que a calvície é herdada do pai da mãe. Quanta verdade existe nessa afirmação?

Alopecia Androgênica

A maioria das pesquisas realizadas sobre perda de cabelo se concentrou na calvície masculina (Alopecia Androgênica), em oposição à calvície feminina. Talvez seja porque o último seja menos recorrente. Mulheres não têm a tendência de desenvolver ter partes da cabeça completamente carecas – pelo contrário, seus cabelos tendem a afinar.

Pesquisas mostram que aproximadamente 30% dos homens experimentam um grau de perda de cabelo aos 30 anos, 50% aos 50, e 80% aos 70 (Hamilton JB, 1951).

A calvície masculina geralmente começa com uma linha do cabelo recuada, mais pronunciada nas têmporas, e depois com uma pequena careca na parte de trás da cabeça que eventualmente cresce. No final do processo, a maioria dos homens com alopecia androgênica fica com apenas uma pequena quantidade de cabelo atrás das orelhas e na parte de trás da cabeça, parecendo com o formato de uma ferradura.

calvície

Como o cabelo cresce e por que ele para de crescer?

O cabelo cresce a partir de uma raiz, localizada na parte inferior dos folículos capilares do couro cabeludo. É composto de proteínas, principalmente queratina, construídas pelos vários tipos de células localizadas no folículo. À medida que as células adicionam mais proteínas ao cabelo, ele sai da raiz e cresce. As características únicas dos folículos capilares determinam as características do cabelo, como sua cor e se é encaracolado ou liso.

Um derivado químico da testosterona chamado diidrotestosterona (DHT) é responsável pelo processo de perda de cabelo. DHT faz com que os folículos capilares encolham, e o cabelo que cresce nesses folículos afina e eventualmente cai. O fato de o DHT ser derivado da testosterona pode explicar por que a calvície é muito mais comum entre os homens do que entre as mulheres.

DNA e calvície

Vários estudos genéticos em larga escala (Hagenaars et al, 2017; Heilmann-Heimbach et al, 2017; Pirastu et al, 2017) mostraram que o DNA desempenha um papel importante na determinação de se um indivíduo desenvolverá Alopecia Androgênica. Um dos genes associados à perda de cabelo é o gene AR. Esse gene codifica uma proteína que ajuda os folículos capilares a detectar hormônios que afetam o crescimento do cabelo (como a testosterona) e está localizada no cromossomo X – um cromossomo que os machos biológicos herdam de suas mães. Esta é provavelmente a fonte da alegação de que a calvície é herdada do pai da mãe. Afinal, se o gene está no cromossomo X, e o cromossomo X é herdado da mãe, ele não poderia ter sido herdado do pai, certo?

Bem, como em muitas coisas na genética, não é tão simples assim. Um dos estudos (Hagenaars et al, 2017) mostrou que a Alopecia Androgênica é uma condição poligênica: uma condição associada a inúmeras variantes genéticas, não apenas uma. (Algumas das condições que o teste de DNA de Saúde do MyHeritage procura são condições poligênicas, como doenças cardíacas e câncer de mama.) Além disso, muitas das variantes genéticas associadas ao MBP não estão localizadas nos cromossomos sexuais – e o estudo de Hagenaars descobriu que aqueles prevêem com mais precisão se alguém desenvolverá Alopecia Androgênica do que os localizados nos cromossomos sexuais.

Em outras palavras, há um pouco de verdade na alegação de que os homens herdam uma tendência à calvície dos pais de suas mães … mas não muito. Existem muitos outros fatores que são mais importantes quando se trata de prever se um homem desenvolverá Alopecia Androgênica

Existe calvície masculina na sua família? Compartilhe sua história nos comentários.

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado