Novas coleções de registros adicionadas em julho de 2019

Comentários

Em julho, 27.612.119 novos registros de quatro novas coleções – Registros Eleitorais da Austrália, 1893-1949; Registros de Casamentos de Québec, 1926-1997; Lista de passageiros em Honolulu, Havaí, 1900-1953; e Lista de passageiros em Baltimore, Maryland, 1891-1943 – foram adicionadas ao SuperSearch ™.

Aqui está um detalhamento das coleções de registros recém-adicionadas:

Coleção

Descrição

Número de registos

Link da pesquisa

Registros Eleitorais da Austrália, 1893-1949

Um índice de eleitores registrados para votar no censo sobre bens comuns na Austrália, entre 1893 e 1949, em cada um dos seis estados do país.

16.306.739 registros

Pesquise a coleção agora

Regristros de Casamentos de Québec, 1926-1997

Um índice de registros de casamento de Québec, Canadá, de 1926 a 1997.

7.901.481 registros

Pesquise a coleção agora

Lista de passageiros em Honolulu, Havaí, 1900-1953

Lista de passageiros de navios que chegam a Honolulu, Havaí, de 1900 a 1953.

1.777.740 registros

Pesquise a coleção agora

Lista de passageiros em Baltimore, Maryland, 1891-1943

Lista de passageiros de navios que chegam em Baltimore, Maryland, de 1891 a 1948.

1.626.159 registros

Pesquise a coleção agora

Registros Eleitorais da Austrália, 1893-1949

A coleção é composta por 16.306.739 registros e inclui o nome, sexo, residência, ocupação e informações de pesquisa (ou seja. divisão, subdivisão e número do registro) sobre os inscritos para votar no censo sobre bens comuns em cada um dos seis estados da Austrália entre 1893 e 1949 bem como a lista eleitoral de 1935 da Nova Zelândia.

Esta coleção é a coleção mais próxima de um registro de recenseamento na Austrália e, portanto, é muito importante para os historiadores locais, sociais e familiares. Como o registro se tornou obrigatório a partir de 1911 e a votação nas eleições federais se tornou obrigatória a partir de 1925, a maioria da coleção reflete a população com mais de 21 anos de idade.

As mulheres receberam o direito ao voto na Austrália com a aprovação da Lei de Bens Comuns de 1902 e também estão presentes nesses registros.

Nesta coleção está o registro de Louise Mack (1870- 1935), um romancista e jornalista renomado. Nascida na Tasmânia, Mack também foi a primeira correspondente de guerra do sexo feminino, noticiando direto das linhas de frente durante a Primeira Guerra Mundial.

Louise Mack (1870-1935) [Crédito: Biblioteca Estadual de New South Wales] Neste registro, de 1935, o endereço de Louise é listado junto com sua profissão de escritora. Ela está registrada como eleitora em Mosman – um subúrbio de Sydney, New South Wales.

Registro Eleitoral de Louise Mack, Autrália, 1935 [Crédito: MyHeritage] Pesquise agora os Registros Eleitorais da Austrália, 1893-1949.

Registros de Casamentos de Québec, 1926-1997

A partir da década de 1920 o Serviço Provincial de Saúde da Província de Québec instaurou um programa para registrar os casamentos realizados na Província. Os 7.901.481 registros dessa coleção, inicialmente criados para fins estatísticos, contêm informações semelhantes às encontradas em uma licença de casamento tradicional – isso inclui os nomes dos noivos, suas datas de nascimento, data e local do casamento e um número de outros fatos que evoluíram e mudaram ao longo dos 70 anos que esta coleção abrange. Isso inclui informações como as profissões da noiva e do noivo, endereços antes e depois do casamento, religião, cidadania, origem racial e idioma nativo. A partir de 1975 informações sobre os pais da noiva e do noivo, incluindo seus nomes e locais de nascimento, também foram registradas e estão incluídas no índice pesquisável desta coleção.

Era tradicional entre as famílias católicas romanas, até a década de 1960 dar até três nomes para cada criança. O primeiro nome era Joseph (José) ou Marie (Maria), dependendo do sexo, o nome seguinte era o de um padrinho ou madrinha e o nome final era o nome dado à criança. Muitos dos registros de casamento católico nesta coleção demonstram essa convenção de nomenclatura.

Nesta coleção está o registro de casamento do jogador de hóquei canadense eternizado no Hall da Fama, Joseph Mario Lemieux. Indiscutivelmente um dos maiores jogadores de hóquei de todos os tempos, Mario era frequentemente chamado de “Super Mario” ou “Le Magnifique” (O Magnífico). Mario é famoso por liderar o Canadá à uma medalha de ouro olímpica em 2002 antes de se aposentar oficialmente em 2006.

Mario Lemieux em Buffalo, Arena HSBC de Nova York, outubro de 2005

Em 26 de junho de 1993, Mario Lemieux se casou com Nathalie Asselin. Além dos nomes completos de nascimento de Mario e Nathalie, o registro inclui sua residência na época, a data e local do casamento e os nomes dos pais do casal.

Registro de casamento de Mario Lemieux e Nathalie Asselin

Pesquise agora os Registros de Casamento de Québec, 1926-1997.

Lista de passageiros em Honolulu, Havaí, 1900-1953

Esta coleção, com 1.777.740 registros, de 1800-1953, contém a lista de passageiros dos a navios que chegaram a Honolulu, no Havaí.

Como houve mudanças significativas nas leis de imigração durante esse período, as informações nessa coleção variam. As informações mais comuns incluem o nome do passageiro, sexo, idade, data de chegada e nome do navio.

A imigração para o Havaí foi impulsionada pela necessidade de mão-de-obra nas plantações de arroz, cana-de-açúcar e abacaxi. Os imigrantes geralmente chegavam com contratos de trabalho que duravam, no mínimo, cinco anos. Quando os contratos terminavam, os trabalhadores podiam enviar pessoas para buscar suas famílias.

Por meio do Ato Orgânico Havaiano de 1900, esses contratos de trabalho rigorosos foram rescindidos e a eliminação dos contratos acelerou a imigração. Novos imigrantes não eram obrigados a permanecer nas plantações e podiam rapidamente mudar de trabalho. Não mais forçados a residir nas plantações, famílias inteiras conseguiram imigrar juntas.

Havia três grupos de imigrantes asiáticos no Havaí que desempenharam um papel crucial na história da ilha. Primeiro foram os trabalhadores das plantações chinesas que inicialmente chegaram para cumprir os contratos de trabalho nas fazendas de arroz. A maioria ficou depois que os contratos terminaram e eles fundaram empresas e se tornaram um dos primeiros grupos de classe média na ilha.

Os trabalhadores japoneses foram o segundo grupo a chegar e vieram em grande número para trabalhar nas plantações de cana-de-açúcar. Eles continuaram a desembarcar no Havaí até a Lei de Exclusão Asiática de 1924 que basicamente suspendeu toda a imigração da Ásia. Durante a Segunda Guerra Mundial, os imigrantes japoneses enfrentaram uma discriminação extrema, pois eram frequentemente suspeitos de terem maior fidelidade ao Japão.

O Acampamento de Internamento Honolulu do Havaí reteve milhares de prisioneiros de guerra e centenas de cidadãos nipo-americanos durante a Segunda Guerra Mundial. [Crédito: Centro Cultural Japonês do Havaí] Após a Guerra Filipino-Americana, os filipinos começaram a imigrar para o Havaí para trabalhar nas plantações de cana-de-açúcar.

Trabalhadores filipinos em uma plantação de cana-de-açúcar c1950 [Crédito: http://www.honolulumagazine.com/] Apesar de serem considerados nacionais americanos e não estarem sujeitos à Lei de Exclusão Asiática de 1924, os filipinos ainda sofreram discriminação. A Lei Tydings-McDuffie de 1934 restringiu a imigração para o Havaí das Filipinas para o máximo de 50 filipinos por ano.

Pesquise agora a Lista de passageiros em Honolulu, Havaí, 1900-1953.

Lista de passageiros em Baltimore, Maryland, 1891-1943

Esta coleção, com 1.626.159 registros de 1891-1948, contém listas de passageiros de navios que chegam a Baltimore, Maryland. As informações disponíveis variam devido a mudanças significativas nas leis de imigração durante o período desta coleta. As informações mais comuns disponíveis incluem o nome do passageiro, sexo, idade, data de chegada e nome do navio. Listas de passageiros mais detalhadas coletaram informações adicionais, incluindo estado civil, informações de nascimento (data e local), nacionalidade, última residência, cidade natal, porto de partida e os nomes e endereços dos membros da família nos Estados Unidos e no país de origem.

A cidade de Baltimore foi o segundo maior porto de entrada de imigrantes europeus depois da cidade de Nova York. A popularidade de Baltimore era grande principalmente devido à linha férrea entre Baltimore e Ohio (B & O).

Em 1868, a linha de trem B & O se associou à linha de navegação Lloyd do norte da Alemanha para fornecer serviços regulares entre Baltimore e o porto alemão de Bremen. Navios cheios de mercadorias entregues pela B & O partiram para Bremen, descarregando suas cargas e retornando a Baltimore transportando passageiros.

Os passageiros que viajavam de Bremen podiam comprar um único bilhete que incluía a travessia transatlântica e a linha de trem B & O. Depois de atracar no terminal de imigração da B & O, os passageiros com passagem direta desembarcariam e embarcariam imediatamente em um trem para continuar sua jornada para o interior do país.

Essa rota foi tão popular que apenas 15% dos imigrantes que chegaram a Baltimore se tornaram residentes permanentes da cidade. Os outros 85% dos imigrantes seguiram para outros destinos, como Cincinnati ou Chicago.

A conexão direta com Bremen tornou Baltimore um destino popular para imigrantes alemães que queriam ficar em Baltimore. Na década de 1920 um dos quatro moradores de Baltimore falava alemão fluentemente e as escolas ofereciam aulas de alemão e inglês.

Inaugurada em 1904, a Casa dos Imigrantes Alemães ofereceu moradia temporária para novos imigrantes. Ela foi subsidiada em parte pelo governo alemão e abrigava principalmente imigrantes alemães, mas estava aberta a todos. A Casa dos Imigrantes hospedou imigrantes até o começo da Primeira Guerra Mundial.

Deutsches Emigrantenhaus (Casa Imigrante Alemã), 1308 Beason Street, Baltimore, Maryland, 29 de dezembro de 1904. [Credit: Md. Fotografias da Sociedade Histórica] Após a Primeira Guerra Mundial, as rígidas quotas de imigração reduziram significativamente o número de imigrantes que chegavam aos Estados Unidos. No entanto, a influência cultural dos imigrantes alemães foi sentida nas décadas seguintes. O último jornal de língua alemã em Baltimore foi publicado até 1976.

Pesquise agora a Listas de passageiros de Baltimore, Maryland, 1891-1943.

Resumo

Todas essas coleções recém-digitalizadas estão agora disponíveis no MyHeritage SuperSearch ™. A pesquisa dessas coleções é gratuita. Para visualizar os registros dessas coleções e salvá-las na sua árvore genealógica, ou para confirmar as correspondências de registros, é necessária uma assinatura do MyHeritage Data. Esperamos que você desfrute a pesquisa dessas coleções e obtenha novos insights sobre a história da sua família.

Divirta-se procurando e nos conte o que você descobrir!

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado