Sobrevivente do Holocausto vê fotos da família pela primeira vez

Comentários

Viktor Okmian, um sobrevivente do Holocausto, viu pela última vez seu pai Boris, a mãe Dobra, o irmão Ralph e dois avós em 1941. Foi quando toda a sua família foi assassinada pelos nazistas em um massacre na Floresta Rumbula em Riga, Letônia. Cerca de 25.000 judeus foram mortos durante esse evento. Graças ao MyHeritage, 77 anos depois de ter sido separado de seus pais, Viktor finalmente conseguiu ver fotos de sua família que nunca tinha visto.

Viktor, naquele momento com 13 anos, estava em um acampamento de verão. Dois dias antes da ocupação nazista, os pais de outra criança no acampamento conseguiram transferir clandestinamente Viktor e seus amigos do campo para a Rússia. De lá, ele foi para a Sibéria.

Depois da guerra, ele retornou a Riga e estudou engenharia de construção na universidade. Em 1956, ele se casou e teve dois filhos. Ele imigrou para Israel em 1974 e depois para Berlim. Até recentemente, ele dividia seu tempo entre Berlim e Zurique, na Suíça.

Asi Nisselson Lurje, um pesquisador judeu da Látvia que dirige o grupo no Facebook, “Judeus da Látvia”, construiu uma árvore genealógica com mais de 40.000 judeus letões, incluindo membros da família de Viktor. A neta de Viktor, Alexandra Okmian, também construiu sua árvore genealógica no MyHeritage e ficou surpresa ao perceber ligações com a árvore genealógica de Asi. Pouco depois, Alexandra descobriu que Asi tinha muita informação sobre sua família. Ela rapidamente entrou em contato com Asi e ele disse que tinha fotos da família Okmian, recebidas dos Arquivos Nacionais de Riga.

Alexandra ficou chocada quando soube que havia fotos porque sabia que Viktor não tinha imagens de seus pais ou avós.

Agora vimos pela primeira vez que o vovô tinha um irmão chamado Ralph – que nós não fazíamos a menor ideia.

No dia 24 de setembro de 2018, Asi enviou as fotos para Alexandra enquanto ela visitava Viktor em Zurique. Foi um momento extremamente emocionante.

Vovô olhou para as fotos e imediatamente reconheceu seu pai e sua mãe, ele ficou chocado e lágrimas encheram seus olhos. No dia seguinte eu trouxe para ele as fotos novamente – desta vez impressas – ele olhou para elas e começou a me contar a história da sua família, que incluía detalhes que ele nunca havia falado antes. Acho que ele sabia que em breve deixaria o mundo.

Dez dias depois, Viktor Okmian morreu em Zurique.

Asi Nisselson Lurje, cuja pesquisa sobre a comunidade judaica da Látvia ajudou a localizar as fotos, também descobriu que ele era parente distante da família Okmian.

O destino me conectou a essa família de 4.000 nomes, e Viktor foi levado às lágrimas pelas fotos; ele estava muito doente e sua condição se deteriorou depois da morte da sua esposa. Seus netos me disseram que seus últimos 10 dias foram os mais felizes da vida dele.

O MyHeritage apoia os pesquisadores da comunidade, como Asi, cujo trabalho ajuda a reunir famílias após este tipo de tragédias, e a proporcionar uma imensa felicidade aos sobreviventes, mesmo que nos últimos momentos de suas vidas.

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado