Como impedir que se percam as lembranças da família?

Comentários

O que vamos contar aqui no blog hoje, para que as memórias da sua família não se percam, não é nenhum segredo, nem algo muito novo. Provavelmente, você já ouviu este conselho em algum lugar, mas nunca o seguiu. Porém, este é um conselho que todos deveriam seguir e é por isso que vamos bater nesta tecla mais uma vez.

Claro está que a história da sua família se alimenta de recordações. E igualmente certo é o fato de que se não nos preocuparmos em registrar devidamente estas lembranças, com o maior número de datas e fontes possível, estas lembranças irão cair em esquecimento, com o tempo, ou até desaparecer.

A tradição oral de se contar histórias é uma fonte de riqueza incrível e as histórias que são passadas através das gerações, de pai para filho, são um legado maravilhoso. Mas já imaginaram se esta história tivesse sido escrita desde o início, em vez de ser só contada oralmente? Fato é que quem conta um conto, acrescenta um ponto e na história familiar não é diferente. Se as histórias da sua família tivessem sido escritas, e não contadas, talvez aquele tio-avô herói não fosse tão heróico assim, ou aquele primo vilão não fosse tão mal, ou simplesmente os fatos tivessem chegado até nós de outra forma.

Pode ser que detalhes não sejam tão importantes quando tratamos de lendas, mitologia e fábulas – tradições que mesclam realidade, ficção e costumes. Todavia, quando estamos falando da história da nossa família, fatos que podem ser comprovados como datas, locais, dados e personalidades participantes da nossa genealogia, então cada detalhe é, sim, muito importante.

A ideia da foto acima é justamente esta: preservar uma memória. E que forma original de preservar, não? Este foi um vestido usado por três irmãs, quando cada uma delas tinha aproximadamente 9 meses de idade, na década de 50. Um belo dia, alguém decidiu guardar este momento em forma de um quadro, o que acabou fazendo com que esta história fosse preservada para o futuro. Pois, de outra forma, o vestido poderia se perder, manchar, ou mesmo acabar indo para o lixo.

Outra ideia que está ficando cada vez mais popular é a do pote de lembranças. Após a morte de algum ente querido, muitos genealogistas e amantes da história da família recomendam que seja colocado um pote de lembranças, para que todos possam por no papel algumas lembranças que têm daquele que acaba de partir. Recomenda-se aqui um pote simples e discreto, que seja colocado em algum canto, no velório, durante o funeral, ou em algum canto onde a família se reúna.

É muito comum que nestes momentos, a família e os amigos, relembrem alguns episódios envolvendo a pessoa falecida, até como uma forma de homenagem. As histórias engraçadas, coisas que a pessoa costuma dizer, ou até gestos típicos, são coisas que gostamos de recordar e que valem a pena serem mantidos na nossa memória. E para preservá-los nada melhor do que escrever. Além disso, preservar e falar sobre a pessoa falecida pode ter até valor terapêutico, pois conforta a alma.

Depois de juntar estas memórias escritas sobre a pessoa que se foi, o próximo passo seria criar um pequeno mural, com objetos, fotos e os tributos por escrito. Esta é uma forma de celebrar a pessoa falecida e de mantê-la conosco. Com o passar do tempo, este mural terá certamente um alto valor emocional para a família.

E você? Também costuma preservar de alguma forma as histórias da sua família? De que forma?

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado