22    out 201420 Comentários

Como organizar sua pesquisa de história familiar

Quando começamos a fazer uma pesquisa genealógica, ela, muitas vezes, cresce rapidamente no início. Uma coisa acaba levando à outra e temos muitas pistas a seguir, caso um determinado lado da família seja mais difícil de se pesquisar. O resultado desta "euforia" inicial é um monte de papéis, anotações, fotos, objetos pequenos e até mesmo grandes.

Como manter o controle de tudo? Como fazer para não perder o foco e para não pesquisarmos a mesma coisa duas vezes, por puro esquecimento? Fato é que uma boa estrutura e organização desde o início vai facilitar a sua vida, lá na frente.

Imagem: bichomalucobeleza.blogspot

Aqui vão algumas dicas de como estruturar melhor o seu trabalho, e complementar as informações da sua árvore genealógica, mantida no MyHeritage.

13    mar 201423 Comentários

Entrevista: Nélio J. Schmidt

Nélio J. Schmidt - Imagem: Arquivo pessoal do autor

Recentemente tivemos o prazer de entrevistar Nélio J. Schmidt, fundador do site GenealogiaRS e um grande genealogista ligado à pesquisa de famílias alemãs no Rio Grande do Sul. Nesta entrevista ele fala um pouco mais sobre o seu site, sobre a genealogia teuto-brasileira, os desafios ligados à pesquisa familiar e nos conta um pouco sobre a sua própria história.

Boa leitura!

MH - Nélio, você é o fundador do site GenealogiaRS. Poderia falar um pouco mais sobre o seu trabalho com o site, sobre os seus objetivos e futuros projetos?

NS- Sim, o site do GenealogiaRS foi criado por mim, incentivado por vários outros colegas de pesquisas, pois necessitava-se de uma ferramenta para divulgação das atividades e dos acervos que se estava produzindo.Assim, o GenealogiaRS - Pesquisas Teuto-brasileira Ltda. foi criado por mim e devidamente registrado, tendo em vista as necessidades de atender algumas questões legais. No início das nossas atividades - o primeiro encontro de ainda um pequeno grupo de quatorze  pesquisadores, aconteceu no 14 de abril de 2011 - houve manifestações dos colegas para que fosse criado um site.

Leia mais... "Entrevista: Nélio J. Schmidt" »

13    nov 20131 Comentário

Genealogia eslovena – Entrevista com Fernando Paternost

Fernando com sua prima Malu - Foto: Simone Hlebanja

Temos o prazer de dar sequência à nossa série de entrevistas, trazendo hoje informações sobre a pesquisa genealógica de descendentes de eslovenos, no Brasil. O entrevistado de hoje é Fernando Paternost, o principal responsável pelo blog Eslovenos no Brasil e também pelo site da União dos Eslovenos do Brasil.

Boa leitura!

MH- Fernando, você é um dos vice-presidentes da União dos Eslovenos do Brasil. Poderia me contar um pouco mais sobre esta União e os seus membros?
FP- A União dos Eslovenos do Brasil foi criada como uma associação da comunidade eslovena e seus amigos a fim de promover a língua e a cultura eslovena aqui no Brasil. Os membros são em sua maior parte os eslovenos e seus descendentes, mais alguns amigos.

MH- Poderia falar mais sobre a imigração eslovena no Brasil? Que outros países têm uma grande colônia eslovena?
FP- Não dá para falar de uma imigração eslovena para o Brasil. Na verdade há eslovenos que vieram em diferentes épocas para o Brasil. Posso citar o caso de duas famílias no Rio de Janeiro que vieram ainda na época do Império para trabalhar na nossa então capital. Há imigrantes que vieram para o Brasil no fim do século 19 e início do 20 por questões econômicas, onde vinham buscar uma vida melhor, muito associados a imigrações italianas para o Brasil. E há aqueles que vieram fugindo das guerras, principalmente a segunda guerra mundial. Destes, muitos migrantes são expatriados políticos ou religiosos.
Os países que possuem as maiores colônias eslovenas pelo mundo são os países vizinhos (Itália, Áustria, Hungria e Croácia), a Austrália, os Estados Unidos e a Argentina.

Leia mais... "Genealogia eslovena – Entrevista com Fernando Paternost" »

4    nov 201316 Comentários

Genealogia basca – Entrevista com Diego Moreira

Diego Moreira

É com muita alegria que apresentamos hoje uma entrevista com um pesquisador da genealogia basca. Trata-se de Diego Moreira, que nasceu e vive no Rio de Janeiro, tem 31 anos, casado com a Lucimar e pai do Daniel e da Mariana, de 4 e 2 anos de idade. Diego é professor de Geografia na rede privada de ensino no Rio de Janeiro e em Niterói e atua com alunos do ensino médio e preparação para o vestibular.

MH- Diego, você está fazendo um trabalho fantástico de levantamento de imigrantes bascos radicados no Brasil. Poderia me contar um pouco mais sobre este projeto?
DM- Decidi pesquisar a presença basca no Brasil tomando como ponto de partida a minha própria história familiar. Sou bisneto de uma imigrante basca, Pura Larrabeiti Goiry, nascida em Derio, na província de Vizcaya, na Espanha.
Iniciei o trabalho em casa, levantando informações com familiares próximos. Depois descobri ferramentas na internet que dão acesso a informações relevantes sobre os nascidos na região, como batismos, casamentos e obituários. Com esses dados trilhei caminhos que me levaram a identificar mais de 150 ancestrais, nascidos do século XIX ao XVI. Incluindo cinco gerações completas (até os trisavós) e 88% dos ancestrais da sexta geração (tetra-avós) até o momento. Os dados incluem também indivíduos da sétima até a décima geração de ancestrais de minha bisavó.

O projeto em si foi pensado para ser realizado em parceria com as famílias de origem basca. O objetivo é pesquisar a ancestralidade e a descendência de imigrantes bascos radicados no Brasil. O elemento central da pesquisa é o imigrante, que representa o elo entre os mundos. As famílias auxiliam com informações sobre a descendência e eu pesquiso a ancestralidade.
O resultado desse trabalho abordando vários imigrantes será, sem dúvida, um valioso estudo da imigração basca para o Brasil e da genealogia basco-brasileira. Abre-se a possibilidade para estudar a contribuição dos bascos para o caráter multiétnico do povo brasileiro, sua identidade e sua representação coletiva. Pretendemos incluir o georreferenciamento das informações, o que nos permitirá elaborar um mapa sobre a imigração basca para o Brasil, tanto em relação à origem dos imigrantes, quanto em relação à dispersão de seus descendentes pelo Brasil e pelo Mundo. Quanto mais famílias aderirem ao projeto, melhor e mais completo ele se torna.

Leia mais... "Genealogia basca – Entrevista com Diego Moreira" »

21    out 20130 Comentário

Como entrevistar familiares – Webinar

Há uma semana realizamos o nosso Webinar, em que demos dicas variadas para que as entrevistas com os nossos familiares sejam bem-sucedidas. Obrigada pela presença de cada um de vocês e peço desculpas pelo problema que alguns dos nossos usuários enfrentaram com o fuso-horário.

Infelizmente o site do Webinar estava mostrando um horário errado para os usuários do Brasil e, consequentemente, alguns dos usuários se logaram com uma hora de atraso, quando o webinar já havia se encerrado. Este erro foi comunicado ao site do Webinar e espero que seja corrigido para o nosso próximo encontro.

Então, para todos que perderam o nosso webinar, ou para aqueles que desejam rever as dicas fornecidas, aqui está o nosso vídeo.

Gostaria de aproveitar a oportunidade para divulgar o nosso próximo Webinar, que será realizado no dia 12 de dezembro de 2013 às 19:00 (horário de Brasília). O tema será SmartMatches - tudo o que você precisa saber sobre elas! Vocês já podem se registrar para o próximo webinar aqui. Lembrem-se a inscrição é em inglês, mas o webinar será realizado em português.

Para saber como se inscrever, clique aqui.

Caso você já tenha perguntas, sugestões ou dúvidas que vocês queiram esclarecer durante o Webinar, mande um email para brasil@myheritage.com.

Até lá!

Sobre nós  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados