28    mar 201424 Comentários

Nacionalidade espanhola aos descendentes de judeus sefarditas

Ao longo das últimas semanas temos visto uma enxurrada de notícias sobre os judeus sefarditas inundarem as redes sociais: são milhares de pessoas que pretendem provar sua origem sefardita para tentar então conseguir obter um passaporte espanhol.

Tudo começou com a intenção do governo de Mariano Rajoy para aprovar no Congresso Espanhol uma modificação no Código Civil daquele país para conceder a nacionalidade espanhola aos judeus sefarditas que consigam provar suas origens ancestrais e, assim, compensar aquelas famílias que foram expulsas de Espanha sistematicamente a partir de 1492.

Ondas migratórias sefarditas

Os judeus fugiram das perseguições que lhe foram movidas na Península Ibérica durante a inquisição espanhola (de 1478-1834) e se instalaram em novos territórios. Milhares se refugiaram no novo mundo, por exemplo, no Brasil e no México, onde atualmente temos milhares de descendentes dos judeus conhecidos como Marranos (pessoas que foram forçadas a se converterem ao cristianismo, mas que continuavam praticando às escondidas a sua religião).

Leia mais... "Nacionalidade espanhola aos descendentes de judeus sefarditas" »

18    mar 20134 Comentários

Dia Nacional da Imigração Judaica

No Dia 16 de dezembro de 2009, o então Vice-Presidente, em exercício, José Alencar Gomes da Silva, sancionava a Lei nº 12.124 que instituía o dia 18 de março como Dia Nacional da Imigração Judaica, no texto da Lei, consta como motivo principal a contribuição dada pelos judeus e seus descendentes na Cultura do Brasil.

Colocamos em nossa página do Facebook uma imagem com 25 descendentes de judeus brasileiros que participaram de alguma forma com o enriquecimento da cultura e se tornaram famosos por seus feitos, nas artes, jornalismo e música brasileira.

Muitos, no Facebook, reconheceram de imediato os rostos e relacionaram seus nomes. São famosos por que estão diariamente em nosso dia a dia ou em algum momento da nossa vida.

Nossa homenagem não é somente a estes 25 personagens e sim a todos os demais personagens anônimos descendentes dos imigrantes. Descendentes dos Judeus, dos Italianos, dos Ingleses, nos Portugueses, dos Japoneses, Alemães, Coreanos e todas as outras representações que se fazem presente na Cultura do Brasil. Temos dito em outras postagens que consideramos a miscigenação das raças um dos fatores evolutivos que dispõem um país. É com esta visão trazida de outros lugares e por outros povos que faz com que exista a evolução e esta troca de informação e de ideias faz crescer qualquer nação. O país  que se fecha, corre o risco de se tornar anão diante do mundo.

Para esclarecer as dúvidas de quem não conseguiu identificar todos os 25 personagens propostos na imagem, buscamos um breve histórico de cada um deles para você se lembrar mais facilmente.

Leia mais... "Dia Nacional da Imigração Judaica" »

12    mai 20121 Comentário

A leoa de Varsóvia

Uma frase muito comum na internet e amplamente divulgada é : Mexe com meus filhos e eu viro uma leoa. No Brasil a leoa vira onça.

Inocente, simples e muito bem idealizada, esta frase sintetiza o sentimento materno em uma de suas mais extremas dedicações.

A proteção.

Já ouvi muitas outras outras, e você também já ouviu.

Muitas delas contem mensagens para os incautos que aproveitam da ingenuidade de uma criança e se esquecem que existe uma mãe a protegê-los.

Conselho de amigo: Jamais mexa com a leoa.

Leia mais... "A leoa de Varsóvia" »

30    abr 2010223 Comentários

Sobrenomes e apelidos dos Cristãos Novos

Muitos de nossos usuários nos escrevem a procura do significado de seus sobrenomes, e alguns ainda, nos reportam que suas árvores chegam até um determinado ponto e o sobrenome ou apelido simplesmente, desapareceu no tempo.

Muitas são as razões para que isto aconteça,  mas na grande maioria, existe uma explicação histórica que só precisa de um pouquinho de paciência e boa leitura e muita pesquisa para resolver este problema.

Hoje vamos começar com uma passagem da história, ocorrida em Portugal e Espanha, lá pelos idos anos de 1492, quando o Rei Fernando II de Aragão e a rainha Isabel I de Castela, expulsaram os judeus da Espanha. Este povo, quase 60 mil deles, se instalou então em Portugal e durante o reinado de D. João I, que viu nestes foragidos a possibilidade de agregar valores financeiros e intelectuais para Portugal, foram bem aceitos e prosperaram, dando ao reino e a sociedade uma grande contribuição em áreas do conhecimento que até então era pouco ativa ou até mesmo inexistente na sociedade portuguesa. Talentosos em comércio de capitais, ciência, medicina, farmácia, artesanato, ourivesaria, sapataria, alfaiataria e tecelagem foram ocupando espaço e formando comunidades cada vez mais fortes que democraticamente conviviam com a realeza.

Juntamente com os mouros, que eram muçulmanos, os judeus  iam cada vez mais tendo as suas comunidades e se expandindo, com a formação de bairros, vilas e locais próprios, onde sua cultura, língua e religião podiam serem mantidas independente do resto do reino e Portugal.

Esta boa convivência ruiu quando veio a falecer D. João I e assumiu o trono D. Manuel, que por aliança com o reino de Espanha, pelo seu matrimônio com a infanta Isabel de Aragão, determinou por força de decreto que todos os judeus e mouros, se convertessem ao catolicismo, forçando a saída do país de judeus e mouros  que não adotassem a religião cristã, mas, foi uma medida econômica atrapalhada que foi corrigida em 1497 com a proibição da saída destes judeus do país, evitando assim a fuga dos Bens de Capital do país.  Nesta época, muitos judeus e mouros, adotaram a Lei e ao aderirem "disfarçadamente" ao catolicismo, mudaram seus sobrenomes ou apelidos para se esconderem, e usaram na maioria das vezes, animais, plantas para constituírem seus novos apelidos ou sobrenomes, assim, o termo Cristão Novo foi criado.

Isto só não bastou para que na Páscoa de 1506, uma revolta popular liderada por monges beneditinos, levasse a morte centenas destes Novos Cristãos no que foi chamado de Massacre de Lisboa, acentuando consideravelmente o clima de anti-semistimo em Portugal.

Somente em 1773, é que uma nova lei, revogava os decretos de D. Manuel, e foi chamada de Restauração, excluindo a obrigatoriedade de se adotar nomes não judeus para os descendentes de judeus, assim, muitos sobrenomes que hoje conhecemos são desta época, desta parte da história.

Muitos Judeus desta época também são chamados de Convertidos.

Para saber mais sobre o assunto as chaves de pesquisa são: Cristãos Novos, Diáspora Sefardita,  e uma passagem obrigatória pelo site www.sephardim.com (em inglês com tradução).

Alguns sobrenomes/apelidos criados com estes  acontecimentos estão relacionados abaixo, mas, se o seu sobrenome ou apelido se encontra entre eles, não necessariamente você é um descendente de judeu ou  de um convertido, mas existe uma grande possibilidade de que tanto em Portugal quanto no Brasil, pode ser que sua ascendência tenha uma relação que só pode ser desvendada com a sua genealogia, portanto, ninguém precisa sair por ai se dizendo mouro ou judeu sem que a pesquisa genealógica comprove a relação de parentesco com estas famílias do século XV.

Abreu, Abrunhosa, Affonseca, Affonso,Aguiar,Ayres,Alam,Alhertú, Albuquerque, AlÍaro, Almeida, Alonso, Alvade, Alvarado, Alvarenga, Alvares, Aivarez, Anelos, Alveres, Alves, Aivim, Alvorada, Alvres, Amado, Amaral, Andrada, Andrade, Anta, Antônio, Antunes, Arailjo, Araújo, Arrahaça,Arroyo, Arroja, Aspalhão, Assumpção, Athayde, Avila, Avis, Azeda, Azeitado, Azeredo, Azevedo.

Bacelar, Balão, Baihoa, Balíeyro, Balteiro, Bandes, Baptista, Barata, Barbalha, Barhosa, Barhoza, Bareda, Barrajas, Barreira, Barreta, Barreto, Barros, Bastos, Bautista, Batista, Beirão, Belinque, Belmonte, Bello, Bentes, Bernal, Bernardes, Bezerra, Bicudo, Bispo, Bivar, Bocarro, Boned, Bonsucesso, Borges, Borralho, Botelho, Bragança, Brandão, Bravo, Brites, Brito, Brum, Bueno, Bulhão..

Cahaço, Cahral, Cahreíra, Cáceres, Caetano, Calassa, Caldas, Caldeira, Caldeyrão, Callado, Camacho, Câmara, Camejo, Caminha, Campo, Campos, Candeas, Capote, Cárceres, Cardoso, Cardozo, Carlos, Carneiro, Carrança, Carnide, Carreira, Carrilho, Carrollo, Carvalho, Casado, Casqueiro, Cásseres, Castanheda, Castanho, Castelo, Castelo Branco, Castelhano, Castilho, Castro, Cazado, Cazales, Ceya, Cespedes, Chacla, Chacon, Chaves, Chito, Cid, Cobilhos, Coché, Coelho, Collaço, Contreíras, Cordeiro, Corgenaga, Coronel, Corrêa, Cortei., Comjo, Costa, Coutinho, Couto, Covilhã, Crasto, Cruz, Cunha..

Damas, Daniel, Datto, Delgado, Devei, Diamante, Dias, Diniz, Dionísio, Dique, Déria, Dona, Dourado, Drago, Duarte, Duraes.

Eliate, Escobar, Espadilha, Espinhoza, Espinoza, Esteves, Évora.

Faísca, Falcão, Faria, Farinha, Faro, Farto, Fatexa, Febos, Feijão, Feijó, Fernandes, Ferrão, Ferraz, Ferreira, Ferro, Fialho, Fidalgo, Figueira, Figueiredo, Figueiró, Figueiroa, Flores, Fogaça, Fonseca, Fontes, Forro, Fraga, Fragozo, França, Frances, Francisco, Franco, Freire, Freitas, Froes, Frois, Furtado.

Gabriel, Gago, Galante, Galego, Galeno, Gallo, Galvão, Gama, Gamboa, Gançoso, Ganso, Garcia, Gasto, Gavilão, Gil, Godirtho, Godins,Goes, Gomes, Gonçalves, Gouvea, Gracia, Gradis, Gramacho, Guadalupe, Guedes, Gueybara, Gueyros, Guerra, Guerreiro, Gusniao, Guterres.

Henriques, Homem.

Idanha, Iscol, Isidro

Jordâo, Jorge, Jnbim, Julião

Lafaia, Lago, Laguna, Lmy, Lara, Lassa, Leal, Leão, Ledcsma, Leitão, Leite, Lemos, Lima, Liz, Lobo, Lodesma, Lopes, Loução, Loureiro, Lourenço, Louzada , Louzano, Lucena, Luíz, Lima, Luzarte.

Macedo, Machado, Machuca, Madeira, Madureira, Magalhães, Maia, Maioral, Maj, Maldonado, Malheiro, Manem, Manganês, Manhanas, Manoel, Manzona, Marçal, Marques, Martins, Mascarenhas, Mattos, Matoso, Medalha, Meddros, Medina, Melão, Mello, Mendanha, Mendes, Mendonça, Menezes, Mesquita, Mezas, Miffio, Miles, Miranda, Moeda, Mogadouro, Mogo, Molina, Mot,forte, Monguinho, Moniz, Monsanto, Montearroyo, Monteiro, Montes, Montezinhos, Moraes, Morales, Morão, Morato, Moreas, Moreira, Moreno, Motta, Moura, Mouzinho, Munhoz.

Nabo, Nagera, Navarro, Negrão, Neves, Nicolao, Nobre, Nogueira, Noronha, Novaes, Mines

Oliva, Olivares, Oliveira, Oróbio

Pacham, Pachão, Paixão, Pacheco, Paes, Paiva, Palancho, Palhano. Pantoja, Pardo, Paredes, Parra, Páscoa, Passos, Paz, Pedrozo, Pegado,Peinado, Penalvo, Penha, Penso, Penteado, Peralta, Perdigão, Pereira,Peres, Pessoa, Pestana, Picanço, Pilar, Pimentel, Pina, Pineda, Pinhâo,Pinheiro, Pinto, Pires, Pisco, Pissarro, Piteyra, Pizarro, Ponheiro, Ponte, Porto, Pouzado, Prado, Preto, Proença.

Quadros, Quaresma, Queiroz, Quental

Rabelo, Rabocha, Raphael, Ramalho, Ramires, Ramos, Rangel, Raposo, Rasquete, Rehello, Rego, Reis, Rezende, Ribeiro, Rios, Robles, Rocha, Rodrigues, Roldão, Romão, Romeiro, Rosário, Rosa, Rosas, Rosado, Ruivo, Ruiz.

Sá, Saldanha, Salvador,Samora, Sampaio, Samuda, Sanches, Sandoval, Santarém, Santiago, Santos, Saraiva, Sarilho, Saro, Sarzedas, Seixas, Sena, Semedo, Sequeira, Seralvo, Serpa , Serqueira, Serra, Serrano, Serrão, Sorveira, Silva, Silveira, Simão, Simões, Siqueira, Soares, Sodenha, Sodré, Soeyro, Sola, Solis, Sondo, Soutto-Mayor, Souza.

agarro, Tareu, Tavares, Taveira, Teixeira, Telles, Thomás, Toloza, Torres, Torrones, Tola, Tourinho, Tovar, Trigillos, Trigueiros, Trindad.

Uchfla

Valladolid, Valle, Valença, Valente, Vareja, Vargas, Vasconcellos, Vasques, Vaz Veiga, Velasco, Vellez, Velho, Veloso, Vergueiro, Vianna, Vicente,Viegas,Vieira,Vigo, Vilhalva,Vilhegas, Villena, Villa, Villalão, Villa-Lobos, Villanova, Villar, Villa-Real, Villella, Vizeu.

Xavier, Ximenes.

Zuriaga.

Comente esta postagem, verifique em sua árvore se algum dos ramos apresenta os sobrenomes, faça sua pesquisa e nos diga qual é a sua opinião.

Fontes: Coisas Judaicas - Cristãos Novos de Hélio Daniel - Wikipédia

Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados