10    out 20133 Comentários

Como escolher um sobrenome na hora de casar?

Antigamente, para todo brasileiro, a regra era: ao se casar a mulher recebe o nome do marido e o marido continuava com o seu sobrenome. Não era incomum uma família receber um convite de casamento do tipo: Sr e Sra. Frederico Cardoso Pontes.

O que para algumas mulheres poderia ser uma fonte de orgulho - a de carregar o sobrenome do marido, para outras poderia ser uma espécie de carga, um símbolo de submissão ao marido.

Imagem: cienciaempauta.am.gov.br

Na cultura portuguesa, é costume que os filhos recebam um ou mais sobrenomes de ambos os progenitores. Os sobrenomes maternos precedem os paternos. Em Portugal, há um número máximo de sobrenomes permitidos, quatro, já no Brasil e nos restantes países de língua portuguesa não existe esta limitação.

No entanto, após o casamento, e após a adoção do sobrenome do marido, esta prática pode originar nomes extremamente longos. Por exemplo uma garota chamada de Maria Carolina que recebe dois sobrenomes da mãe, mais dois do pai - Maria Carolina Ferreirinha Mota Pereira dos Santos casa-se com Nuno Barroso dos Reis, poderia se tornar a Maria Carolina Ferreirinha Mota Pereira dos Santos Barroso dos Reis após o casamento.

Leia mais... "Como escolher um sobrenome na hora de casar?" »

17    ago 20102 Comentários

Não Amora…

A lei brasileira, depois de inúmeros casos de reclamações de pessoas que queriam trocar seus nomes por acharem-se ofendidas, normatizou as regras para que Cartórios pudessem decidir registrar ou não uma criança que os pais queiram colocar um nome estranho ou ofensivo, expondo a criança ao ridículo.

Caso o escrivão tenha dúvida, ele pode recorrer e  "consultar" a Justiça.

Leia mais... "Não Amora…" »

Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados