Os brinquedos preferidos de cada época

Comentários0

O final do ano está chegando e muitos já estão pensando nos presentes dos filhos, dos netos, dos sobrinhos, entre outras crianças que iremos presentear. Mas vocês já pararam pra pensar como os gostos das crianças mudam com o tempo? Tá certo que a mídia tem um grande papel em influenciar em nossos gostos e desejos, mas é legal parar para pensar nos brinquedos que marcaram as infâncias das crianças de antigamente.

Com isso em mente, nós consultamos as coleções de jornais no nosso  SuperSearch™ para descobrir quais foram os brinquedos mais populares de cada década e fizemos uma lista para vocês!

De qual destes brinquedos vocês se lembram? Quais vocês tiveram?

1920s: Ursinho de pelúcia

Chronicling America: Historic American Newspapers, 1836-1922, Mexico Weekly Ledger, Mexico, Missouri, Nov 30 1922, MyHeritage SuperSearch

Você também tinha um ursinho de pelúcia antigamente? Desde a década de 20 que os bichos de pelúcia fazem parte dos brinquedos infantis mais queridos. A propaganda da imagem acima é de 1922, de um jornal americano, e na descrição está escrito que este é o presente ideal a ser trazido pelo Papai Noel. Os primeiros ursinhos foram manufaturados em 1902, mas eles se tornaram populares na década de 20. Muitos dos ursos desta época eram mecânicos – eles podiam dançar e falar e alguns tinham cordas para que suas cabeças pudessem se mexer pra cima e para baio. Eles eram feitos em cores diferentes e, a partir de 1923, eles gaharam olhos de vidro.

1930s: Quebra-cabeça

Jornais australianos, Brisbane Courier, Brisbane, Australia, May 15 1930, MyHeritage SuperSearch

Na imagem acima vocês vêm um quebra-cabeça de 1930, que as crianças primeiro recortavam para depois montar. No período da Grande Depressão, na década de 30, houve uma verdadeira febre pelos quebra-cabeças, começando pelos Estados Unidos e se espalhando pelo mundo. Enquanto a maioria dos brinquedos eram raros e atigos de luxo neste período, os quebra-cabeças feitos de madeira cresceram muito em popularidade. Armarinhos e livrarias até permitiam as crianças que alugassem os quebra-cabeças por 3 a 10 centavos/dia, dependendo do tamanho do brinquedo.

1940s: Mola maluca

Jornais de Ohio, 1793-2009, Painesville Telegraph, Painesville, Ohio, Dec 23 1948, MyHeritage SuperSearch

Deste brinquedo eu me lembro já que eles tiveram uma nova moda nos anos 90. E fato é que às vezes os brinquedos mais simples podem ser os mais divertidos. Este brinquedo ganhou vida com Richard James, um engenheiro naval, que acidentalmente criou a mola maluca quando ele estava tentando criar molas que estabilizassem os instrumentos do navio durante tempestades. Sem querer a mola caiu no chão e ele ficou observando como os espirais “andavam” pelo chão. Ele e sua esposa Betty então lançaram o brinquedo no mercado mundial. Este era um brinquedo barato que sempre agradava. Betty contou uma vez para o jornal New York Times: “Tantas crianças neste mundo não podem ter brinquedos caros e eu me sinto obrigada a ajudar estas crianças. Acho um absurdo quando vou fazer minhas compras de Natal e vejo presentes por 60 ou 80 dólares, como se isso fosse barato.”

1950s: Silly Putty (massinha de modelar magnética)

Jornais da Austrália, Mail (Adelaide, SA), Adelaide, Australia, Jan 6 1951, MyHeritage SuperSearch

Este brinquedo meio gosmento fez a felicidade de muitas crianças durante a década de 1950, principalmente nos Estados Unidos. O artigo de jornal de 1951 mostrado na imagem acima, explica o sucesso do brinquedo. O artigo diz que esta “substância esquisita” estica, quica e bate quando se brinca com ela e volta ao estado original depois. Ela foi criada nos EUA durante a Segunda Guerra por cientistas que estavam tentando encontrar um substituto para a borracha, devido à falta deste produto nas prateleiras. Peter C. L. Hodgson comprou os direitos da sustância e lançou o nome em inglês “Silly Putty” (algo como massinha maluca). Ela vinha dentro de um ovinho de plástico e era vendida por um dólar. Ela foi primeiramente pensada para adultos, mas fez sucesso entre a criançada de 6 a 12 anos.

1960s: Forninho

Jornais de New York, 1806-2007, Schenectady Gazette, Schenectady, NY, Dec 19 1968, MyHeritage SuperSearch

O seu primeiro bolo foi assado num forninho de brinquedo? Este brinquedo esteve presente em milhões de casas, no mundo todo. Ele foi lançado em novembro de 1963 e era visto como o brinquedo de Nata perfeito. O artigo de 1968 mostrado acima comenta quais brinquedos estavam nas listas das crianças para o Papai Noel, nos Estados Unidos. Uma das crianças tinha uma linha bem completa e um dos itens era o forninho. O primeiro modelo tinha uma lâmpada que era a fonte de calor para o forno – a maneira ideal para as crianças começarem a se aventurar na cozinha.

1970s: Cubo mágico

Jornal de Ohio, 1793-2009, Daily Times, Portsmouth, Ohio, May 28 1983, MyHeritage SuperSearch

Você já conseguiu montar um cubo mágico? Com todas as suas faces? E sabia que ele foi inventado em 1974 e nem pensavam em fazer dele um brinquedo? Erno Rubik (que emprestou o seu nome para o brinquedo em inglês – Rubik’s cube), era um arquiteto húngaro, que criou o cubo para demonstrar a geometria tridimensional. Ele chamava o cubo, como na tradução em português, de cubo mágico, mas não foi capaz de solucioná-lo de imediato, ainda que ele tenha sido responsável pela sua criação! Levou mais de um mês para ele conseguisse solucionar o cubo e ele tentou lançar o produto no mercado de brinquedos. Em 1979 o produto foi visto na Feira de Brinquedos de Nuremberg, na Alemanha e aí sim teve bastante sucesso. O cubo mágico ganhou a premiação de brinquedo do ano no Reino Unido em 1980 e tem tido sucesso desde então.

1980s: Bola fluffy

Ohio Newspapers, 1793-2009, Toledo Blade, Toledo, Ohio, Apr 27 1989, MyHeritage SuperSearchEsta idéia super simples viveu uma verdadeira febre na década de 80 e foi um dos brinquedos mais pedidos de então. A bola fluffy foi patenteada em 1988 e ela é feita de 2000 tiras de borracha flexível. Ela foi criada pelo engenheiro Scott Stillinger, que teve esta idéia quando estava ensinando seus filhos a brincar de apanhar a bola. Ele queria inventar uma bola que fosse fácil de apanhar por dedos pequenos. O nome em inglês “Koosh” ligava ao som que a bola fazia ao cair na mão de alguém. Ao lançamento da  bola fluffy ela era vendida em cores diferentes. O artigo de 1989 acima explica que esta bola era uma bola que não fazia nada, mas que era “o brinquedo certo para a época”.

1990s: Furby

Ohio Newspapers, 1793-2009, Toledo Blade, Toledo, Ohio, Dec 23 1999, MyHeritage SuperSearch

Você teve um Furby na sua casa que acordava no meio da noite? O Furby foi a primeira tentativa de se vender um robô para uso doméstico concebido como um animal de estimação com o qual as crianças podiam falar, cuidar e ensinar. Embora eles começaram a ser vendidos falando uma língua meio que própria, com o tempo eles foram programados para falar em inglês ou outros idiomas. David Hampton e Caleb Chung criaram o Furby e fizeram o lançamento em 1998, pronto para ser vendido no Natal. Em 1999, 14 milhões de Furbies foram vendidos e eles ainda são encontrados hoje em dia.

2000s: Wii

Ohio Newspapers, 1793-2009, Toledo Blade, Toledo, Ohio, July 1 2007, MyHeritage SuperSearch

Desde o momento que o Nintendo Wii chegou ao mercado americano, em novembro de 2006, ele foi um sucesso de vendas. Como se pode ler no artigo de jornal de 2007, acima, a oferta não conseguia suprir a demanda e era super difícil conseguir encontrar um aparelho nas lojas, mesmo meses após seu lançamento. O Wii foi um sucesso também pelo fato de ser apropriado para todas as idades e por ser sensível ao movimento. Isto significa que os jogadores podem se movimentar enquanto jogam e não precisam apertar botões ou movimentar controles remotos. Após o mercado americano, o Nintendo Wii foi lançado no Reino Unido, Coréia do Sul e Taiwan.

De quais destes brinquedos famosos você mais gostava?

Já escolheu qual brinquedo você vai comprar para presentear as crianças da sua família? Conte pra gente! Ou que tal ficar com um dos brinquedos da lista?

Equipe MyHeritage

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado