Nossos voluntários: Gerry van Eeden, da África do Sul

Comentários0

Gerald (Gerry) Dixon van Eeden, 68, é um tradutor do MyHeritage para o idioma afrikâner. Ele nasceu em Cradock, na África do Sul e cresceu em Oudtshoorn. Mas nas últimas três décadas ele viveu em Port Elizabeth.

Gerald (Gerry) Dixon van Eeden

Depois de um curso técnico (em Oudtshoorn), ele fez uma licenciatura para ser professor, no Teachers College. Ele tem um título de BEd (1968) da Universidade de Port Elizabeth e um BA (1974) da Universidade de Stellenbosch.

Gerry foi professor do ensino primário por 34 anos e se aposentou em 2009, como diretor da Escola Primária Tjaart van der Walt em Port Elizabeth.

Ele começou a se interessar pela história da sua família ao chegar à conclusão que não conhecia bem seus próprios familiares. De alguns ele não sabia absolutamente nada.

Ficava sempre com vergonha quando minha família começava a falar de um parente e eu não tinha a mínima ideia de quem eles estavam falando.

Depois que ele se aposentou, em 2009, a primeira coisa que fez foi criar uma árvore genealógica.

Eu tentei dois ou três programas até que encontrei o MyHeritage. Era fácil de usar, fazia tudo que eu queria que fizesse, e é um programa fantástico de pesquisa e realmente prático para o usuário.

Gerry reconstruiu o seu passado até Jan Janse van Eeden (nascido em 1637) que emigrou da Alemanha para a África do Sul em 1662.

Decidi me concentrar nos descendentes do meu avô, Frederick Jacobus van Eeden (nascido em 1861), a sétima geração de of van Eedens na África do Sul. Ele se casou com a Rachel Magrita Petronella Radema (nascida em 1867) e tiveram 11 filhos (seis filhos e 5 filhas).Comecei com os familiares que já conhecia e pedi a eles que acrescentassem os parentes que eles conheciam. Assim, aprendi muito sobre a minha família e nossa história. Posteriormente, comecei a usar as Smart Matches e Record Matches e descobri ainda mais familiares que não conhecia ainda.

 

O avô de Gerry Oupa Frikkie (ao centro) e seis filhos: (da esquerda para a direita) Gideon Jacobus (Giel) nasc. 1901, Cornelius Jansen (Kerneels) nasc. 1894, Daniël Johannes (Dan) nasc. 1910, Frederick Jacobus (Oupa Frikkie) nasc. 1861, Frederick Jacobus (Kowie) nasc. 1892, Gert Christiaan nasc. 1898, e Petrus Jacobus (Pieter) nasc. 1899.

Com o tempo, ele também começou a acrescentar os nomes dos antepassados e descendentes de sua mãe à árvore genealógica. O pai de Gerry, Daniel Johannes van Eeden, casou-se com a Grace Geraldine Dixon em 1943, e eles tiveram dois filhos e três filhas.O avô materno de Gerry, Gerald Thomas Dixon (nascido em 1889), veio da Irlanda e viveu em Garies e Springbok, na parte oeste da África do Sul. Ele se casou com Maria Johanna Weich (nascida em 1888) e tiveram um filho e duas filhas. Hoje, Gerry tem 460 pessoas na sua árvore genealógica, 314 delas ainda vivas. 88% de seus parentes vivem na África do Sul e o resto na Dinamarca, Grã Bretanha, Holanda, Canadá e EUA.

A maioria dos seus familiares sabe de sua nova paixão – a genealogia. Quando eles se encontram, eles fazem muitas pergutnas sobre os parentes que eles não conhecem. Todos os membros da sua família recebem alertas sobre aniversários, para que eles possam saber uns dos outros. Eles estão em contato mais frequente agora e têm muito o que conversar.

Minha família está muito mais unida agora e nós frequentemente entramos em contato para dar os parabéns para alguém pelo seu dia, ou até pelo aniversário de casamento. Isto fez com que nosso relacionamento ficasse melhor e a comunicação em geral da nossa família. Eu estou tão entusiasmado com a minha genealogia que acabei inspirando mais 6 parentes e amigos a começarem as suas árvores genealógicas, usando o MyHeritage. 

Encontro da família Van Eeden em 2002, em Swellendam, África do Sul.

Quando Gerry começou a usar o MyHeritage, ele viu que o programa já estava disponível em 36 idiomas (hoje já são 42), mas a sua língua materna, o Africâner, não era um dos idiomas oferecidos. Ele acabou conhecendo o programa de voluntários do MyHeritage e decidiu que esta seria uma forma de ajudar seus compatriotas.

Depois de traduzir as primeiras páginas, me “viciei”. Hoje, este é o meu hobby e parte da minha rotina diária. Para mim traduzir o programa, as newsletters, o guia do usuário, as perguntas mais frequentes e outras coisas é tanto um estímulo quanto também um desafio. Gosto muito de receber as cartas de agradecimento que recebo da equipe de tradução.

Uma das descobertas mais interessantes de Gerry sobre a sua família, foi um primo que emigrou da África do Sul para a Inglaterra, há40 anos.

Nós perdemos o contato naquela época e agora descobri um monte de familiares que ainda não conhecia. É tão gratificante falar sobre a nossa família com eles. Também descobri descendentes do irmão mais velho do meu pai, que ainda não conhecia. 

Você também gostaria de se juntar à nossa euqipe de tradutores voluntários e ajudar os seus compatriotas a descobrir, preservar e compartilhar a história das suas famílias? Leia como participar aqui: http://translations.myheritage.com/

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado