Procurando antepassados que passaram por Auschwitz – Birkenau

Comentários1

Tendo ainda em mente o Dia Internacional da Lembrança do Holocausto, que foi comemorado no dia 27 de janeiro, gostaríamos de deixar aqui uma sugestão de site, onde você pode procurar informações sobre os prisioneiros que estiveram no campo de concentração de Auschwitz-Birkenau. As informações vêm do Arquivo Nacional Polonês e podem ser consultadas no site http://auschwitz.org/en/ (em inglês ou polonês). Tratam-se de informações (infelizmente não completas) de pessoas que foram deportadas para Auschwitz. Tenta-se assim preservar a memória de todos aqueles que lá estiveram.

Em 1991 o Memorial de Auschwitz criou um banco de dados para tentar documentar melhor as vítimas deste campo de extermínio. Ele foi baseado em documentação original criada pela polícia nazista – SS. Provavelmente nunca será possível compilar todos os nomes das pessoas que passaram por Auschwitz, mas a coleção é bastante significativa e traz dados de várias fontes diferentes:

• Originais criados pelos oficiais do campo enquanto Auschwitz esteve em operação
• Documentos originais criados por prisioneiros de Auschwitz fora da estrutura burocrática oficial (material oriundo do movimento de resistência do campo de concentração)
• Cópias de documentos relacionados com Auschwitz, obtidas de outras instituições
• Material de pós-guerra (registros de julgamentos, relatos e memórias de ex-prisioneiros)
• Uma coleção de ilustrações
• Uma colecção audiovisual

A grande maioria dos documentos deste campo de concentração foi destruída para ocultar as ações da SS e o que sobrou ainda está dividido entre arquivos espalhados pelo mundo (o exército vermelho salvou parte da documentação e o levou para a Rússia, por exemplo). Mas as informações disponíveis não são apenas uma fonte histórica importante (para a genealogia ou história), mas um monumento à memória das pessoas que perderam suas vidas de forma tão trágica e cruel.

O repositório digital abriga cerca de 650 mil registros históricos pessoais e individuais, oriundos do trabalho de pesquisa de 70 coleções diferentes e de posse de documentos originais . Podem ser encontradas mais de 445.163 entradas. Mais de 400 mil prisioneiros foram registrados neste campo de concentração. Infelizmente nuitos documentos estão incompletos. Muitos nomes de prisioneiros são repetidos, incluindo variações da grafia em diferentes grupos de documentos. Leva tempo verificar toda a documentação disponível sobre os prisioneiros. Mas o trabalho de busca de novas fontes e de autenticação dos documentos já conseguidos é constante.

O museu também tem uma coleção muito importante de objetos pertencentes aos prisioneiros:

• Cerca de 110 mil sapatos;
• Cerca de 3.800 malas, das quais 2.100 levam os nomes dos seus proprietários;
• Mais de 12 mil utensílios de cozinha;
• 470 próteses;
• 390 roupas de campo listradas;
• 246 talit (xale religioso judaico)
• Cerca de 4.100 obras de arte (cerca de 2 mil das quais foram feitas por prisioneiros).

Fonte: auschwitz.org, imagem: Flickr/Jechstra

 

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado

  • JOSE MAURIVAL CAVALCANTE LUZ


    fevereiro 12, 2017

    sou um cavalcante.Neto de Sebastiao Holanda Cavalcante e Joana Batista Cavalcante – meu conta Watss app 66 9840-0740