Parentes de sangue, agregados e parentesco

Comentários7

Quem são seus parentes de sangue e quem são os agregados?

Um dos artigos que mais fazem sucesso aqui no blog é este daqui: Que parente você é? E creio que a razão para este sucesso é que somos curiosos em saber de que forma, exatamente, somos relacionados com os nossos inúmeros parentes que temos. Saber a diferença entre quais são os parentes de sangue e quais são os agregados também é muito diferente em vários momentos da vida: seja no casamento, na hora de receber uma herança ou até mesmo até para se candidatar para um cargo público, já que estes são regidos por leis para combater o nepotismo.

Então, para entender melhor, vamos às definições; Fala-se em parente de sangue (ou cosanguíneo) quando duas pessoas têm um ancestral em comum, seja na linha direta (pai para filho), seja na linha colateral (tios e sobrinhos, por exemplo). Geralmente, para fins de genealogia, são considerados principalmente, os vínculos biológicos – ou de sangue – entre os familiares e, assim sendo, são principalmente estes os alvos principais das pesquisas genealógicas. Filhos adotivos são juridicamente falando iguais aos filhos naturais, mas não há parentesco de sangue entre pais e filhos neste caso. Eles são considerados como parentes de sangue, embora não haja nenhuma relação biológica entre os mesmos.

Já os agregados representam um parentesco entre uma pessoa e os parentes do cônjuge. Interessante que no inglês, por exemplo, estes parentes são chamados de “in laws” (ou seja, pela lei). Afinal, eles viraram parentes após o casamento e podem ser chamados também de parentes por afinidade. Exemplos são: sogro, sogra, cunhado, nora, etc.

Para calcularmos o grau de parentesco entre duas pessoas, costuma-se contar o número de passos que se leva até chegar a um ancestral comum. Se calcularmos, por exmplo, o grau de parentesco entre irmãos, veremos que são necessários dois passos: um do filho até seu pai e outro do pai até o irmão. Ou seja, irmãos seriam parentes de segundo grau um do outro. O artigo 1594 do Código Civil de 2002 diz o seguinte:

“Contam-se, na linha reta, os graus de parentesco pelo número de gerações, e, na colateral, também pelo número delas, subindo de um dos parentes até ao ascendente comum, e descendo até encontrar o outro parente.”

Na imagem acima fica fácil calcular o grau de parentesco entre outras pessoas. Por exemplo, a sua sobrinha (filha da sua irmã) seria sua parente de 3º grau. Se ela viesse a ter uma filha, esta seria sua parente de 4º grau, e assim por diante.

Via de regra, quanto maior o grau de parentesco, menor seria o vínculo entre as pessoas envolvidas. Porém, claro está que esta regra não leva em conta o valor afetivo do parentesco. Uma das minhas “primas” mais queridas é minha parente de 6º grau – nossos bisavós eram irmãos.

Deixar um comentário

O e-mail será mantido em sigilo e não será mostrado

  • Fábio Nogueira Duarte


    outubro 7, 2016

    Excelente artigo! A leitura e a sua compreensão traz luz a nossa pesquisa por nossos antepassados, nossos agregados e suas inter-relacionamentos. E deixando o aspecto legal de lado, a pesquisa acaba se tornando uma diversão em ver como as famílias não se ramificam apenas nos galhos, mas, também em suas raízes.

  • LINDENAIDE NASCIMENTO DOS SANTOS


    outubro 9, 2016

    Boa noite ,eu tenho muita vontade de saber a origem da minha família , Ferreira Nascimento ,Oliveira ,Resende ,Ferreira de Miranda ,meu avô contava do parentesco dele com esposa do comendador Domingos Faustino Correia , já pesquisei sobre o assunto e parece mesmo ter fundamento as histórias dele , mais não consigo entender onde eles se casaram se foi no Brasil ou em Portugal e qual o grau de parentesco , os sobrenomes são os mesmos da minha família !

  • LINDENAIDE NASCIMENTO DOS SANTOS


    outubro 9, 2016

    o nome do meus avós eram TOBIAS FERREIRA DO NASCIMENTO E ORACINA FERREIRA DO NASCIMENTO
    MEUS BISAVÓS PATERNO CASSEMIRO F. NASCIMENTO E EMILIA F. NASCIMENTO
    BISAVÓS MATERNO FRANCISCO CIPRIANO DE CAMPOS E MARIA DA CRUZ RESENDE
    TRISAVÓS SÓ TENHO OS PATERNOS VICENTE JOSÉ DO NASCIMENTO E JOANA FERREIRA DE OLIVEIRA
    FRANCISCO FERREIRA DAS CHAGAS E JESUÍNA CANDIDA DO NASCIMENTO
    MEUS PAIS NICODEMOS FERREIRA DO NASCIMENTO E ANA MARIA DO NASCIMENTO
    AVÓS MATERNOS MARIA JOSÉ DE JESUS E EDUARDO DE PAULA MACHADO ,
    BISAVOS MATERNO SEVERINO FERREIRA DE MIRANDA E MARIA LIBANIA DE JESUS

  • Evanete Maria do Nascimento Rosa


    outubro 11, 2016

    Pâmela , boa noite. Gostaria de saber mais sobre as informações aqui citada no dia 24/02/16.As informações contidas é muito importante. Porque eu tenho a carteira de trabalho do meu avô Apolinário Pereira Reis.De conteúdo muito importante. Gostaria de saber mais sobre você.Sou neta deles e minha mãe é filha deles( José Joaquim e Maria Pereira de Jesus).Meu avô nasceu no dia 06/01/1897em ilhéus Bahia.
    Me invie um emails: evanete.rosa@bol.com.br

  • Luiz Gonzaga Severino


    novembro 15, 2016

    Um excelente trabalho. Muito útil para quem se propõe a montar a história da origem de uma família.

  • Emarianna


    janeiro 2, 2017

    Olá, eu sou muito leiga nesse assunto, estou criando a minha árvore…me ajudem tirando uma dúvida: qual o grau de parentesco do meu primo com a minha filha.

  • IRACI DE OLIVEIRA TEODORO


    janeiro 26, 2017

    Augusto Cabral de Oliveira meu bisavo e o irmão Luiz Cabral de Oliveira