18    mar 20132 Comentários

Dia Nacional da Imigração Judaica

No Dia 16 de dezembro de 2009, o então Vice-Presidente, em exercício, José Alencar Gomes da Silva, sancionava a Lei nº 12.124 que instituía o dia 18 de março como Dia Nacional da Imigração Judaica, no texto da Lei, consta como motivo principal a contribuição dada pelos judeus e seus descendentes na Cultura do Brasil.

Colocamos em nossa página do Facebook uma imagem com 25 descendentes de judeus brasileiros que participaram de alguma forma com o enriquecimento da cultura e se tornaram famosos por seus feitos, nas artes, jornalismo e música brasileira.

Muitos, no Facebook, reconheceram de imediato os rostos e relacionaram seus nomes. São famosos por que estão diariamente em nosso dia a dia ou em algum momento da nossa vida.

Nossa homenagem não é somente a estes 25 personagens e sim a todos os demais personagens anônimos descendentes dos imigrantes. Descendentes dos Judeus, dos Italianos, dos Ingleses, nos Portugueses, dos Japoneses, Alemães, Coreanos e todas as outras representações que se fazem presente na Cultura do Brasil. Temos dito em outras postagens que consideramos a miscigenação das raças um dos fatores evolutivos que dispõem um país. É com esta visão trazida de outros lugares e por outros povos que faz com que exista a evolução e esta troca de informação e de ideias faz crescer qualquer nação. O país  que se fecha, corre o risco de se tornar anão diante do mundo.

Para esclarecer as dúvidas de quem não conseguiu identificar todos os 25 personagens propostos na imagem, buscamos um breve histórico de cada um deles para você se lembrar mais facilmente.

Claudia Ohana

Cláudia Ohana (nascida Maria Cláudia Carneiro Silva; Rio de Janeiro, 6 de fevereiro de 1963) é uma atriz e cantora brasileira.

É filha da montadora de cinema Nazareth Ohana Silva, falecida em 1978, e do pintor Arthur José Carneiro. Tem uma irmã mais velha chamada Cristina e é irmã do escritor João Emanuel Carneiro.

Iniciou a carreira no cinema em 1979, em Amor e Traição. Depois faria outros filmes conhecidos, como Menino do Rio (1982), Erendira (1983), Ópera do Malandro (1985), Luzia Homem (1987), Kuarup (1989) e Erotique (1994).

Boris Casoy

Boris Casoy (São Paulo, 13 de fevereiro de 1941) é um jornalista brasileiro. Atualmente apresenta o Jornal da Noite, na Band, além de ser um dos âncoras da rádio BandNews FM.

Último dos cinco filhos de imigrantes judeus russos que chegaram ao Brasil em 1928, Boris adquiriu poliomielite ao completar um ano de vida, junto com sua irmã gêmea. Na época não existia vacina. A doença deixou sequelas físicas, mas a marca maior foi a psicológica, gerada pela discriminação na infância. Até os nove anos, Casoy praticamente não podia andar. Com essa idade, ele foi operado nos EUA e recuperou os movimentos. "Como não podia andar, era um grande ouvinte de rádio, admirava aquele milagre da transmissão da voz", contou em entrevista ao site Amputados Vencedores.

Bussunda

Bussunda (nome artístico de Cláudio Besserman Viana, Rio de Janeiro, 25 de junho de 1962 — Vaterstetten, 17 de junho de 2006) foi um ator, humorista e dublador brasileiro, membro do grupo Casseta & Planeta.

Não tendo sucesso na escola e na faculdade, Bussunda encontrou no humor e na alegria o que ele realmente queria fazer da vida, vivia dizendo que o humor o havia salvado. Junto com seus companheiros do grupo Casseta & Planeta, construiu uma carreira na Rede Globo. Além do bom humor, uma de suas fortes características era zombar do próprio fato de ser comilão, o que o levava a imitar personagens com semelhante qualidade.

Eva Wilma

Eva Wilma Riefle (São Paulo, 14 de dezembro de 1933) é uma consagrada atriz brasileira.

Eva Wilma é descendente de alemães, ucranianos judeus e argentinos. Seu pai se chamava Otto Riefle Jr e era um metalúrgico alemão da região da Floresta Negra, em Pforzheim, perto de Stuttgart, no sul da Alemanha. Ele veio para o Brasil, mais precisamente para a cidade do Rio de Janeiro, em 1929, aos 19 anos, para trabalhar numa firma de metalurgia.

A mãe de Eva Wilma, Luísa Carp, nasceu em Buenos Aires. Era filha de judeus ucranianos da cidade de Kiev que imigraram para a Argentina. Os pais de Eva se conheceram na cidade de São Paulo, quando o pai de Eva foi transferido para a capital paulista, e a mãe, após ter morado em Kiev com os pais por muitos anos, veio ao Brasil.

Hector Babenco

Héctor Eduardo Babenco (Mar del Plata, 7 de fevereiro de 1946) é um cineasta argentino-brasileiro de ascendência judaico-ucraniana. Nasceu na Argentina e radicou-se no Brasil aos dezenove anos de idade. É naturalizado brasileiro desde 1977. Casado com a atriz Barbara Paz.

Trabalhou como figurante em filmes dos diretores Italianos Sergio Corbucci, Giorgio Ferroni e Mario Camus.

Clarisse Lispector

Clarice Lispector, nascida Haia Pinkhasovna Lispector (Tchetchelnik, 10 de dezembro de 1920 — Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) foi uma escritora e jornalista, nasceu na Ucrânia e foi naturalizada brasileira.

De origem judaica, Clarice foi a terceira filha de Pinkouss e de Mania Lispector. Nasceu na cidade de Tchetchelnik enquanto seus pais percorriam várias aldeias da Ucrânia fugindo à perseguição aos judeus durante a Guerra Civil Russa de 1918-1921. Chegou ao Brasil quando tinha 1 ano e dois meses de idade, e sempre que questionada de sua nacionalidade, Clarice afirmava não ter nenhuma ligação com a Ucrânia - "Naquela terra eu literalmente nunca pisei: fui carregada de colo" - e que sua verdadeira pátria era o Brasil.

Adolfo Bloch

Adolpho Bloch (Jitomir, Ucrânia, 8 de outubro de 1908 — São Paulo, 19 de novembro de 1995) foi um dos mais importantes empresários da imprensa e televisão brasileira. Fundador do grupo de mídia que levava seu sobrenome, foi o criador da revista semanal Manchete, em 1952, e fundou, em 1983, a Rede Manchete, hoje extinta. Seu nome de nascimento em russo era Avram Yossievitch Bloch, de acordo com o livro Os Irmãos Karamabloch, escrito por seu sobrinho-neto, Arnaldo Bloch.

O fato da família Bloch ser de origem judaica fez com que se envolvessem em muitos problemas em 1917, na época da Revolução Russa. Um desses problemas era a fome, e sendo assim, junto com dezessete parentes, Adolpho Bloch deixou sua localidade natal, Jitomir, para morar em Kiev. Em 1921, deixou a Ucrânia definitivamente, chegando a morar 9 meses em Nápoles, na Itália. Somente em 1922, os Bloch chegaram ao Rio de Janeiro.

Dan Stulbach

Dan Filip Stulbach (São Paulo, 26 de setembro de 1969) é um ator e diretor brasileiro.

É o primeiro membro de uma pequena família de imigrantes de judeus poloneses a nascer no Brasil. Tem apenas uma irmã, que é nutricionista e mãe de seu único sobrinho. Em casa, cresceu ouvindo a língua polonesa e as histórias que o avô lhe contava sobre a vida na Polônia, devastada durante a Segunda Guerra Mundial.

Debora Bloch

Débora Bloch (Belo Horizonte, 29 de maio de 1963) é uma atriz brasileira.

É filha do também ator Jonas Bloch, parente distante do fundador da Rede Manchete, Adolpho Bloch. Seu bisavô (avô paterno de Jonas) era irmão de Joseph Bloch, pai de Adolpho, conforme citado no livro Os Irmãos Karamabloch, escrito por Arnaldo Bloch, sobrinho-neto de Adolpho.

Seu contato com as artes cênicas começou cedo, quando, ainda pequena, ela e a irmã acompanhavam o pai, a ensaios e montagens de peças teatrais. Aos sete anos, viu o pai lutar esgrima com Walmor Chagas no quintal de sua casa, durante um ensaio de Hamlet. Cresceu fascinada com a profissão.

Luciano Huck

Luciano Huck (São Paulo-SP, 3 de setembro de 1971) é um apresentador de televisão. Está à frente há 12 anos do programa "Caldeirão do Huck", que vai ao ar todos os sábados na TV Globo. O programa é transmitido para todo o território nacional e para 115 países via Globo Internacional. Em 2009, Luciano Huck foi o primeiro brasileiro a atingir a marca de 1 milhão de seguidores no Twitter, em apenas 4 meses.

Aos 20 anos de idade, Luciano Huck fez um estágio na agência W/Brasil, do publicitário Washington Olivetto. Na mesma época, em sociedade com amigos, abriu o bar Cabral, em São Paulo. Estagiou também nas agências de publicidade DM9, de Nizan Guanaes, e Talent. Aos 22 anos, Luciano Huck foi convidado por Fernão Lara Mesquita, diretor do Jornal da Tarde (JT), para publicar uma coluna social no jornal. A coluna foi batizada de “Circulando”. Na mesma época, começou a fazer locução em programa da rádio Jovem Pan. Aos 23 anos, estreou na televisão, mais especificamente no comando de um quadro no programa Perfil, com Otávio Mesquita. Aos 24, sua coluna no JT virou programa de televisão, o Circulando.

Luciano Szafir

Luciano Lebelson Szafir (São Paulo, 31 de dezembro de 1968) é um ator, empresário e modelo brasileiro de telenovelas.

Nascidos em uma família de judeus conservadores, aos 13 anos já ajudava o pai no trabalho com tecidos.

Durante uma viagem a Nova Iorque, acabou descoberto por olheiros de moda e foi modelo em desfiles e ensaios de marcas como Giorgio Armani e Calvin Klein. Durante a estada nos EUA, foi convidado para participar da série Barrados no Baile, mas acabou recusando a oportunidade por não ser ator – viria a se formar em Administração de Empresas em 1990.

De volta ao Brasil, as propostas para trabalhar na TV não cessavam. Depois de recusar alguns papéis, foi convidado pelo diretor Carlos Manga para integrar o elenco de Anjo Mau, novela da TV Globo, em 1997. Desde então nunca mais parou, acumulando dezenas de trabalhos em teatro, televisão e cinema.

Dina Sfat

Dina Kutner de Souza, mais conhecida como Dina Sfat, (São Paulo, 28 de agosto de 1939 — Rio de Janeiro, 20 de março de 1989) foi uma atriz brasileira.

Filha de judeus poloneses, Dina sempre quis ser artista. Estreou nos palcos em 1962 em um pequeno papel no espetáculo Antígone América, dirigida por Antonio Abujamra. Daí pulou para o teatro amador e foi parar no Teatro de Arena, onde estreou profissionalmente vivendo a personagem Manuela de Os Fuzis da Senhora Carrar de Bertold Brecht. A atriz se transformou em uma grata revelação dos palcos e mudou seu nome artístico para Dina Sfat, homenageando a cidade natal de sua mãe

Juca Chaves

Jurandyr Czaczkes, mais conhecido como Juca Chaves (Rio de Janeiro, 22 de outubro de 1938), é um compositor, músico e humorista brasileiro.

Nos anos 60 montou o circo SDRUWS nas proximidades da Lagoa Rodrigo de Freitas, do Corte de Cantagalo. Ali apresentou seu show Menestrel Maldito. Conforme o próprio Juca, o nome do circo era uma sigla: S de "snob", D de "divino Dener", R de "ralé", U de "uanderful", W de "water-closet", S de "Sdruws mesmo".

Marcia Peltier

Márcia Bokel Peltier Nuzman, nascida Márcia Ribas Bokel (Rio de Janeiro, 19 de novembro de 1958), é uma jornalista, apresentadora, escritora e cronista brasileira.

Filha de Jaddo Barbosa Bokel e de Mariza Bulcão Ribas, é casada com o presidente do Comitê Olímpico Carlos Arthur Nuzman. Tem duas filhas de seu casamento anterior, com Francisco Peltier, com quem foi casada entre 1977 e 1998. Sua irmã, Maritza, é casada com Alberto de Orleans e Bragança, membro da família imperial do Brasil.

Mauricio Sherman

Maurício Sherman Nizenbaum (Niterói, 31 de janeiro de 1931) é um diretor de televisão brasileiro. Um dos mais conhecidos e respeitados nomes do showbusiness tupiniquim, começou no teatro como ator, sendo inclusive premiado, além de comandar diversos espetáculos do Teatro de Revista. Ainda como ator, fez vários vilões nas comédias da Atlântida. Foi praticamente um dos "inventores" da TV brasileira. Já trabalhou com Chico Anysio e era um dos diretores preferidos de Nelson Rodrigues.

Nos anos 40, foi responsável pela dublagem em português de alguns clássicos da Disney, começou com a dublagem da 1ª voz de Pinóquio em Pinóquio, dublagem do Príncipe Philipe de A Bela Adormecida e outros mais.

Em 1961, Sherman foi responsável pela direção da primeira versão televisiva de Gabriela, Cravo e Canela, baseada no livro de Jorge Amado e transmitida pela TV Tupi. A novela foi a primeira da televisão brasileira a ser gravada em videoteipe.

Sandra Annenberg

Sandra Annenberg (São Paulo, 5 de junho de 1968) é uma jornalista e ex-atriz brasileira. É a atual âncora do Jornal Hoje, sendo a principal apresentadora desse telejornal exibido de segunda a sábado pela Rede Globo (do qual também é editora-executiva).

Começou sua carreira na TV em 1974, participando de um teleteatro na TV Cultura. Em 1982 foi repórter do programa Crig-Rá, dirigido pelo hoje cineasta Fernando Meirelles. Na Rede Bandeirantes, apresentou o Show do Esporte ao lado de Luciano do Valle e Juarez Soares e, em 1984, comandou o TV Criança. Na Cultura, ainda, foi apresentadora dos programas Grandes Concertos, Festivais da MPB e Vitória.

Serginho Groisman

Sérgio Groisman (São Paulo, 29 de junho de 1950) é um jornalista, ator e apresentador de televisão brasileiro. Começou sua carreira na Gazeta, Cultura e SBT. Atualmente está na Rede Globo de Televisão onde apresenta o programa Altas Horas e o boletim Alô Brasil, exibido via antena parabólica. Caracteriza-se por sua empatia com adolescentes e quase todos os programas que apresenta são voltados para esse público.

O primeiro programa que Serginho Groisman apresentou na televisão foi o TV Mix, na Rede Gazeta, no fim da década de 1980. Contudo, o início do sucesso de Serginho Groisman na televisão foi o Matéria Prima, programa de entrevistas em que as perguntas eram feitas pela platéia, constituída de jovens, formato este mantido depois em 1991 quando Serginho foi para o SBT apresentar o Programa Livre e depois, no atual Altas Horas.

Tiago Leifert

Tiago Rodrigues de Leifert (São Paulo, 22 de maio de 1980) é um jornalista e apresentador brasileiro. É filho de Gilberto Leifert, diretor de relações com o mercado da Rede Globo.

Tiago Leifert iniciou a carreira como repórter do tradicional "Desafio ao Galo", programa dedicado ao futebol de várzea. Formou-se em Jornalismo e Psicologia pela Universidade de Miami e foi trainee no Jornalismo da rede norte-americana NBC. Começou a trabalhar na Rede Globo apresentando o Pro Rad em 2006 e matérias relacionadas a videogame no Esporte Espetacular. Cobriu a rodada do futebol brasileiro em 2008, os Jogos Panamericanos do Rio de Janeiro (2007) e os Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim. Anteriormente, havia trabalhado como editor e apresentador do Vanguarda Mix, programa de entretenimento jovem na TV Vanguarda, retransmissora da Rede Globo para o Vale do Paraíba, ao lado de uma das apresentadoras do Vídeo Show, Geovanna Tominaga.

Silvio Santos

Silvio Santos,nome artístico de Senor Abravanel (Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 1930), é um prestigiado apresentador de televisão e empresário brasileiro. Dono do Grupo Silvio Santos, que inclui empresas como a Liderança Capitalização (administradora da loteria Tele Sena), a Jequiti Cosméticos e o Sistema Brasileiro de Televisão (mais conhecido como SBT), Silvio Santos possui um patrimônio avaliado em aproximadamente R$ 6 bilhões de reais.

Filho de pai grego e mãe turca, Rebeca e Alberto Abravanel, ambos judeus, Silvio Santos nasceu na travessa Bentevi, boêmio bairro da Lapa, região central do Rio de Janeiro. Além de seus pais, Senor possuia 5 irmãos, Beatriz, Perla, Sara, Leon e Henrique.

Wladimir Herzog

Vlado Herzog (Osijek, Reino da Iugoslávia, 27 de junho de 1937 — São Paulo, 25 de outubro de 1975) foi um jornalista, professor e dramaturgo. Passou a assinar "Vladimir" por considerar seu nome muito exótico nos trópicos. Naturalizado brasileiro, Vladimir também tinha paixão pela fotografia, atividade que exercia por conta de seus projetos com o cinema.

O nome de Vladimir tornou-se central no movimento pela restauração da democracia no Brasil após 1964. Militante do Partido Comunista Brasileiro, foi torturado até a sua morte no DOI-CODI em São Paulo, após ter se dirigido pessoalmente ao órgão para um interrogatório sobre suas atividades "ilegais".

Vladimir era casado com a publicitária Clarice Herzog, com quem teve dois filhos. Com a morte do marido, Clarice passou por maus momentos, com medo e opressão e teve que contar para os filhos pequenos o que havia ocorrido com o pai. Clarice, três anos depois (1978), conseguiu que a União fosse responsabilizada, de forma judicial, pela morte do esposo. Ainda sem se conformar, ela dizia que "Vlado contribuiria muito mais para a sociedade se estivesse vivo".

Elias Gleizer

Ilicz Glejzer (São Paulo, 4 de janeiro de 1934), mais conhecido como Elias Gleizer, É um ator brasileiro.

Filho de judeus poloneses que fugiram da perseguição na Europa, Elias Gleizer apareceu na TV Tupi, em fim da década de 1950. Fez a novela "José do Egito", em 1959. Depois engatou uma série enorme de novelas e outros teleteatros, na TV Tupi. Fez nada menos que 25 trabalhos. Seu tipo bonachão, um corpo grande, aliados ao olhar doce, encaixam-se sempre em variados papéis. Dessas 25 novelas, citemos as mais importantes, que fez na TV Tupi. Fez: "Se o Mar Contasse"; "O Mestiço"; "Olho Que Amei"; "A Outra"; "A Inimiga"; "A Ré Misteriosa"; "Os Irmãos Corsos"; "Presídio de Mulheres"; "Os Rebeldes"; "Antônio Maria"; "Nino, o Italianinho"; "Simplesmente Maria"; "A Fábrica"; "Signo da Esperança"; "Rosa dos Ventos"; "Salário Mínimo"; "Xeque-Mate"; "O Machão". Quando a TV Tupi foi fechada, Elias Gleiser foi para a TV Bandeirantes.Lá fez: "Dona Santa"; e "Sabor de Mel". No SBT fez: "Acorrentada"; "Uma Esperança no Ar".

Foi quando ingressou na Rede Globo de Televisão. E mais uma vez, engatilhou uma série de 25 participações em teledramaturgia. Seu tipo físico e seu jeito de atuar, parece abrirem-lhe os caminhos. Jamais se casou nem teve filhos. Fez várias novelas, sendo um dos atores mais versáteis e talentosos do meio artístico.

Henri Sobel

Henry Sobel (Lisboa, 9 de janeiro de 1944) é um rabino norte-americano radicado há mais de 40 anos no Brasil, onde foi presidente do Rabinato da Congregação Israelita Paulista (CIP) até outubro de 2007, quando afastou-se formalmente.

Ainda na primeira infância sua família estabeleceu-se em Nova Iorque, onde formou-se rabino em 1970. Henry Sobel é casado e tem uma filha, Alisha, nascida em 1983.

Foi defensor dos direitos humanos no Brasil e recusou-se a enterrar o jornalista Wladimir Herzog na ala de suicidas do Cemitério Israelita, por não acreditar na versão oficial da Polícia da época.

Enquanto liderou a CIP, Sobel se tornou um porta-voz da comunidade judaica no Brasil. Sua atuação levou o rabino a ser considerado uma das maiores lideranças religiosas do país. Também estabeleceu uma ponte entre as religiões cristãs e o judaísmo, participando de inúmeros cultos e eventos ecumênicos.

Eva Todor

Eva Todor Nolding (Budapeste, 9 de novembro de 1919) é uma atriz brasileira nascida na Hungria.

Nascida de uma família de judeus húngaros ligados ao meio artístico, Eva começou nos palcos ainda criança, como bailarina da Ópera Real de Budapeste. Por conta das dificuldades financeiras que a Europa enfrentava no período pós-Primeira Guerra, a família Fodor abandonou sua terra natal e emigrou para o Brasil, em 1929. No ano seguinte, Eva, com apenas nove anos, retomou carreira como bailarina, no Rio de Janeiro. Aos 10 começa a estudar dança clássica com Maria Olenewa, no Theatro Municipal. Foi quando adotou o sobrenome artístico de "Todor" no lugar do original Fodor, cuja pronúncia no Brasil remeteria a um palavrão.

Moacir Scliar

Moacyr Jaime Scliar (Porto Alegre, 23 de março de 1937 — Porto Alegre, 27 de fevereiro de 2011) foi um escritor brasileiro. Formado em medicina, trabalhou como médico especialista em saúde pública e professor universitário. Sua prolífica obra consiste de contos, romances, ensaios e literatura infantojuvenil. Também ficou conhecido por suas crônicas nos principais jornais do país.

Filho de José e Sara Scliar, Moacyr nasceu no Bom Fim, bairro que concentra a comunidade judaica. Alfabetizado pela mãe, professora primária, a partir de 1943 cursou a Escola de Educação e Cultura, daquela cidade, conhecida como Colégio Iídiche. Transferiu-se, em 1948, para o Colégio Nossa Senhora do Rosário (católico). Pouca gente conhece a história de Scliar e o polêmico caso de um de seu livros, "Max e o Felino", que foi plagiado pelo escritor canadense Yann Martel no seu livro "As Aventuras de Pi", que virou um filme de grande sucesso e premiado com o Oscar.

Pedro Bial

Pedro Bial (Rio de Janeiro, 29 de março de 1958) é um jornalista, escritor, cineasta, poeta e apresentador brasileiro. Atua principalmente em televisão, sendo conhecido por apresentar os programas Fantástico, Big Brother Brasil e Na Moral.

Pedro Bial, como cineasta, fez um documentário com Jorge Mautner, também judeu, com o nome de Mautner - Filho do Holocausto.

Pedro Bial também é filho de pai judeu e mãe gentia que chegaram ao Brasil fugindo do regime nazista de Adolf Hitler. A semelhança foi um dos fatores que levou o jornalista a topar participar do projeto. Sua mãe, inclusive, faz uma participação no início do documentário falando em alemão com Mautner. “Ao incluí-la fiz uma afirmação: essa é a minha história também e por isso decidi contá-la”, avalia.

Nestas breves biografias, vemos a história de muitos de nossos parentes que antes de se tornarem famosos ou não, dedicaram suas vidas e seu trabalho para melhorar a vida de um País.

Fonte : wikipédia - Famosos

Comentários (2) Trackbacks (0)
  1. Judia converta. Viva os judeus brasileiros assim como os judeus de todo o mundo.
  2. Via os judeus brasileiros assim como todos os judeus do mundo.

Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados