15    out 20120 Comentário

Dia do Professor

Hoje, no Brasil, em quase todas as redes sociais que visitamos, em nossas páginas e em tantas outras, todos tinham algo para escrever sobre os professores. Todos deviam algo a alguém que se dispôs, pela vocação ou pelo amor ao Ensino a  doar seu conhecimento para que outros pudessem se preparar para a vida.

Desafiamos nossos usuários no Facebook a postarem resposta para a seguinte pergunta:

Qual professor marcou a sua vida? Obtivemos excelentes respostas, alguns homenagearam todo o conjunto de de seus professores, outros, lembraram-se de detalhes de seu tempo de escola. Queriam homenagear a alguém que indicou o caminho, facilitou a vida e direcionou uma vocação.

Maria do Carmo Braga de Goiânia escreveu: "Minha Professora mais querida foi do 2º primário e jamais esquecerei dona "Maurina Augusta Lacerda". Ela me despertou para entre outras coisas a importância da amizade e da leitura".

A pergunta durou o dia inteiro, não aquela com a qual desafiamos nossos seguidores do Facebook, mas: O que nos faz recordar de nossos professores, mesmo que tanto tempo tenha se passado e tanta vida tenha sido vivida?

Não sei, talvez uma palavra, ou um conjunto de ensinamento que nos abriu alguma porta para o entendimento do mundo ou de nós mesmos.

Eu também já vivenciei isso, ao idealizar a pergunta, lembrava-me de minha professora nos primeiros anos de escola, Professora Maria Tereza Abdala, que nos ensinava desenho.

Naquela época o desenho era obrigatório nas escolas e ela tinha um jeito muito especial de nos ensinar. Eramos ainda bem jovens, mas não tão jovens, eu tinha 12 ou 13 anos, e certa vez, ela nos convidou a desenhar um vaso de flores colocado sobre a mesa, eu até tentei, mas não consegui. Peguei outro papel e comecei a desenhar com o lápis um corpo de uma mulher, e seus contornos, cabelos, ombros e os traços fluíam melhor do que para desenhar vasos, me empolguei e me desliguei da aula. Fixo no desenho. nem percebi a presença da professora na minha costa a olhar o que eu fazia.

Ao perceber que eu havia sido pego no flagrante, o sangue me subiu a cabeça, minha respiração quase que parou e eu imediatamente tentei amassar o papel com o desenho. Ela me segurou a mão evitando que eu destruísse o desenho. Pediu para ver direito o que eu desenhava, depois me perguntou se o que eu via sobre a mesa era o que eu estava desenhando. Eu gelei e falei que não. Já esperava uma temporada na diretoria. Ela me devolveu o desenho e falou.

— Ainda bem que não é um vaso, pois esta muito bonito seu desenho para ser um vaso. Você desenha muito bem, continue.

Eu não acreditei naquilo. acredito até que eu tremia mas, terminei o trabalho. No final da aula, ela me chamou, perguntou se eu já tinha desenhado antes e eu falei que sim, esta era uma maneira de passar o tempo. Ela me perguntou se eu tinha tido aulas, eu falei que aprendi alguma coisa com meu tio que era artista plástico. Então ela me dispensou.

Na outra aula, logo no princípio, ela me chamou, me passou uma revista cheia de desenhos e métodos de desenho e me disse:

— Aprenda a riscar, seus traços são bonitos, mas ainda falta muito para você retratar uma mulher.

Eu amei a revista, aprendi página por página. Virou vocação, ganha pão e diversão. Tudo o que eu esperava do desenho.

Escrevendo, eu me lembro exatamente como aconteceu. Uma marca foi indelével em mim e eu percebi, naquela época, que alguém confiava em mim e isso mudou radicalmente minha vida de pintor de vasos para desenhista.

A Maria do Carmo também deve ter vivido uma experiencia parecida e muitos outros também. Não dá para dizer que foi um ou outro que me marcou, pois muitos professores me marcaram, mas um, apenas um, enxergou e me deu confiança para continuar a estudar desenho.

Do desenho, outras coisas me foram ensinadas, e delas eu me fiz.

O professor, principalmente nos dias de hoje, vê muitas vezes seus alunos saírem muito mais completos e mais escolarizados do que a escola pode ensinar, pois a vida, as comunicações acrescentaram um novo tipo de conhecimento a todo mundo, mas, ainda será o professor que irá mostrar o caminho, abrir portas e decifrar vocações.

Querer fazer uma homenagem aos professores é agradecer a você leitor, pois fazendo isso, sei que algum professor te ensinou a ler. Caso contrário, todo este texto seriam símbolos misturados em confusão. Não tenha dúvida.

Feliz Dia dos Professores.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados