30    dez 20110 Comentário

As últimas horas

Mais uma ano que se passa e com ele vai também um monte de coisa que juramos cumprir e não cumprimos.

São as promessas de final de ano que sempre fazemos e que nunca cumprimos. As falhas que deveriamos corrigir em nós e nunca corrigimos.

Vão-se 365 dias entre aquelas promessas e as próximas promessas. Vai-se um ano a mais em nossas vidas.

No ano que passou sobrou tempo para que se fossem realizados todas as promessas, mas, o que sobrou mesmo foram as desculpas por elas não terem sido cumpridas.

Engordamos os olhos naquilo que foi feito pelos outros, até nos espantamos com algumas conquistas de amigos ou conhecidos e achamos que poderiamos ter sido mais seguros, mais determinados e mais conquistadores. Em alguns casos não fomos.

Prometemos coisas que as vezes sabemos não serem possíveis de serem conquistadas e que muitas vezes estão acima da nossa capacidade de cumprí-las. Estamos sempre a nos desafiar.

Prometemos coisas pré-moldadas, feitas com começo, meio e fim, e não existe isto em coisas a serem feitas no futuro. O futuro é imprevisível.

Não se promete uma casa pronta, se promete uma construção. Não se promete um discurso na ONU, mas se promete uma visita a Nova York, se for para discursar ou apenas passear não importa, a promessa  será cumprida. Não se promete  emagrecer 20 quilos, mas se promete menos tempo na porta da geladeira e mais tempo nas caminhadas, quem sabe, pode-se emagrecer os 20 quilos.

Se as promessas são sempre destinadas a algo ou alguém, esqueça, não serão cumpridas. Ao olhar para aqueles que vi realizarem grandes promessas no ano que passou, vi que eles não prometeram nada, apenas começaram algo novo.

Vi que na maioria dos casos, não prometeram encontrar um grande amor, mas ficaram com o coração aberto para amarem.

Naqueles que construiram suas casas,  vi que existiu a vontade de ter um lugar para chamar de seu.

Nos que foram para Nova York fazer discurso, vi que este discurso veio junto com sua ocupação.

Estas pessoas não idealizaram seus sonhos e nem prometeram nada que não pudessem cumprir, apenas começaram a fazer alguma coisa que os levou a amarem, construirem e discursarem. Os seus sonhos foram construidos em parceria, em parte pelo desejo e outra parte pelo acaso. É assim que sonhos são construidos. É assim que as realizações e as conquistas acontecem, em parceria. Você e as oportunidades da Natureza.

Este ano eu prometo

Como diz Antonio Barbosa : Não adianta olhar para o céu com muita fé e pouca luta.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados