21    out 20115 Comentários

Meu filho vai ser médico

Deu no MailOnline: (resumo)

Casal retarda puberdade para filho poder decidir sobre a escolha do sexo.

Tommy ou Tammy

(Berkeley, California, USA) - Pauline Moreno e Debra Lobel, formam um casal de duas mulheres, lésbicas. A sua decisão esta causando polêmica ao apoiarem em seu filho Tommy a colocação de hormônios retardadores de puberdade, sob a pele, o que daria a Tommy mais uns 10 anos sem sofrer as alterações da puberdade como alteração da voz, crescimento dos pelos e outras características masculinas.

Tommy nasceu menino, adotado aos 2 anos, e desde os 3 anos manifesta desejo de ser tratado como garota. Aos 5 anos tentou mutilação sexual e esta sendo tratado pelo Youth Suicide Prevention Program, uma ONG que trabalha este tipo de distúrbio suicida. Na época foi diagnosticado pelos médicos com Transtorno de Identidade de Gênero.

As mães, apoiam a decisão de Tommy e o chamam de Tammy.

Tammy, tem todo o comportamento feminino e também as características emocionais de uma garota de 11 anos e decidiu que faria a operação de mudança de sexo, o tratamento com hormônios facilitaria em caso positivo de alteração do sexo que Tammy manteria assim, alguns traços femininos bem realçados e não prejudicados pela ação da puberdade masculina sobre o seu corpo. Desta forma, ao completar a cirurgia, bastaria tomar hormônios femininos que os seios, a voz e outros fatores femininos iriam se realçar completando a transformação.

Tammy recebeu das mães apoio também quando se decidiu em trocar suas vestimentas masculinas pelas femininas e se caracterizar como tal se transformando em um transsexual.

"Isso é abuso infantil. É como fazer lipoescultura em uma criança com anorexia", disparou Paul McHugh, professor de psiquatria da renomada Johns Hopkins University.

Segundo as mães, Tammy iniciou sua transformação aos 3 anos. O tratamento será mantido até que Tammy ou Tommy atinja a idade de 15 anos. As mães recebem várias criticas e também apoio e se mantem irredutíveis pois as leis do estado lhe dão esta autoridade.

Coloquei esta notícia para que alguns amigos lessem e comentassem, alguns são homossexuais pois a notícia acima é mais controversa pelo fato das mães serem lésbicas do que pelo fato de se tratar de uma criança. Nenhuma das respostas me voltou se referindo ao fatos das mães serem lésbicas e sim, ao fato de que uma criança estar tomando uma decisão tão importante em sua vida e tão pouca idade. E que a formação dos pais tenham influenciado esta questão.

Verdade: Os pais influenciam seus filhos, algumas vezes drasticamente como o título desta postagem, outros pela insegurança de suas decisões e de apoio aos filhos  no momento de suas dúvidas.

A influência dos pais é o fator que irá determinar vitórias ou derrotas na vida do cidadão, seja ele homem, mulher, transsexual ou qualquer outra de sua opção. Não necessariamente sexual.

Algumas vezes, transferimos aos filhos as nossas falhas e nossas angustias para que eles vivam aquilo que não vivemos, aquilo que não conquistamos. Um vez, vi um palestrante falar que queremos para os filhos o que nos faltou, e que existia o pai ou a mãe que dizia: "Meu filho comerá a melhor parte do frango, pois nós quando crianças só comíamos as asas" ou "Minha filha só irá para a escola de Condução, pois eu só ia a pé". Em uma patente necessidade de suprir o que nos faltou, na vida de alguém que não necessita daquilo. Nem sempre as necessidades das crianças serão as nossas necessidades. Talvez por não ter tido tanta liberdade, estamos agora cedendo além do limite.

Isto faz adultos incompletos, adultos insatisfeitos que chegarão as idades mais avançadas infelizes pelas decisões que tomaram...seus pais.

Quantos nos reportam entre amigos, conhecidos ou colegas de serviço: "Estou aqui, mas gostaria de trabalhar em outra profissão".

Chego a conclusão que nossa influência terá que ser algumas vezes autoritária, mas na maioria da vezes ela deve ser consultiva, orientativa e muito amorosa. Sem preconceitos e sem carregar os mesmos dos nossos erros passados.

Queremos modelos de pessoas felizes para nossos filhos. A maior felicidade é deixar que eles escolham de que forma serão felizes. Meu pai sempre me disse: "Não estamos aqui para quebrar vidros, mas para colar os cacos das pessoas que amamos". Não estamos aqui para criar dificuldades, mas para ser o apoio daqueles que amamos quando eles erram e quando pedem nossa ajuda.

As crianças aprenderão a comer a asa quando, crescidas e já pais, quererem que seus filhos comam apenas a melhor parte do frango.

Comente, eu quero ouvir a sua opinião.

Comentários (5) Trackbacks (0)
  1. Assunto delicado, né?

    Há várias discussões sobre a origem da homossexualidade: a criança nasce homo ou se torna assim no decorrer do tempo? Se não nasce homo, pode ser influenciada a se tornar? E se nasce homo, pode ser influenciada a se tornar hétero?

    A teoria do bom salvagem de Rousseau, apesar de ultrapassada, ainda vale de certa forma. Sabemos hoje que os genes não agem unilateralmente em nosso ser, mas sofrem influência do meio durante toda a vida, principalmente na infância e adolescência (períodos de formação pessoal).

    Fico pensando se Tommy/Tammy teria tomado essa decisão se não tivesse sido adotado(a) por um casal homossexual. Talvez ele(a) só descobrisse isso no decorrer da adolescência e tomasse a decisão por si só. Seria bem mais natural.
    E se esse garoto estiver apenas seguindo uma forte inflência das mães? Uma criança abandonada pelos pais já tem motivos suficientes para ser dependente emocionalmente. E se ele se descobrir, já na maturidade, que não é gay? Poderia acontecer se fosse apenas influência!

    Mas o problema maior não é a homossexualidade, mas sim a decisão das mães de retardar a puberdade da criança. Isso vai contra tudo o que é natural. Sabe-se lá quais conseqüências e seqüelas isso pode trazer ao corpo!
    Por mais que o garoto seja mesmo homossexual e queixar assim ser pelo resto da vida, as mães não tem direito impedir o guri cresça.
    Imaginem o distúrbio psicológico: Um jovem de 15 anos, com mentalidade de adolescente, preso ainda em um corpo de criança! Que lhe dêem então o direito de se tornar mulher aos 18 anos. Seria traumático se manter como criança durante duas décadas!

    Que os pais apontem aos filhos o melhor caminho, isso é natural. Mas embarcar os filhos num trem com destino pré-determinado, é extremamente absurdo! O garoto(a) nem sabe o que está fazendo realmente. Para ela, sexualidade nada mais é do que vestir um estilo de roupa, saia ou calça, e brincar com um tipo de brinquedo, carrinho ou boneca. Não passa disso! Sexualidade de verdade ela só vai descobrir no meio da adolescência!

    Concordo com o senhor Paul McHugh ao dizer que tudo isso não passa de um abuso infantil!
  2. É verdadeiramente um abuso!
    Isso é apenas um prelúdio do que vai acontecer com crianças adotadas por homossexuais! Esperem pra ver...
  3. A escolha pelo sua opção sexual deve ser respeitada mas nunca incentivada, uma criança não tem discernimento suficiente para fazer uma opção dessas tão jovem. O tempo dirá o que ele quer ser, hoje em dia não podemos mais estranhar nada está tudo tão normal!
  4. Não concordo totalmente com a Ilca aí pra cima. Crianas adotadas por casais homossexuais receberão influênciadas pelos pais adotivos, claro. Mas pais responsáveis saberão lidar com o que for preciso. Homossexual ou não, os pais devem prezar pelo bem de seus filhos e não induzí-los a algo que os pequenos desconhecem.

    É como eu disse acima: pra uma criança de 10 ou 11 anos, sexualidade é apenas um modo de se vestir. Decidir se ele gosta de mulheres ou de homens ele só vai descobrir durante a puberdade. E veja bem, as mães o estão privando da puberdade!!!
  5. Eu quero deixar aqui o meu comentário,mas temo ofender alguém apenas utilizarei aquela metáfora,dizer-vos-ei quem fui,dizer-me eis quem sou.Fui criado propriamente dito em sintonia com a natureza,ver a alegria louca com que os animais procuravam as suas fêmeas na época do cio,ou vice-versa,queria entender certos comportamentos,mas as árvores que são machiadas através dos ventos,os peixes na desova,a Natureza tem para nós uma missão,e é dentro deste patamar que me revejo como homem,agora pretendendo ser razoável cada um tem o direito de encontrar felicidade,onde quer que ela esteja, isso é que será o mais importante..Mas o caso desta criança é de Loucas,pura e simplesmente..

Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados