19    jun 20113 Comentários

Uma reflexão familiar

mãe e filhaSempre que trocamos emails ou em nossos contatos diários, todos nós da Equipe de MyHeritage.com nos preocupamos uns com os outros, uma forma de demostrar o quanto nos transformamos em Família.

Se algum de nós, da equipe, corre algum risco, pela sua posição geográfica ou pela presença de algo que esta sendo noticiado que possa causar preocupação, nossos pensamentos se voltam para aquele "membro da família" que possa estar em perigo. Só nos acalmamos quando recebemos as boas notícias diretamente desta pessoa.

Não somos parentes diretos, somos parentes pela amizade, pelo carinho e pela aproximação profissional.

São laços afetivos que nos fazem compartilhar as vitórias e também as dificuldades.

Esses laços de amizade tendem a ficar mais forte com o tempo, mas, temos laços que já são fortes a muito tempo. São laços afetivos que guardamos da família biológica, da infância e da nossa formação como pessoa.

Costuma-se dizer que estes laços não se rompem jamais, se afastam em algumas ocasiões, mas nunca se rompem.

A sociedade moderna, com seus compromissos, sua interatividade e sua rapidez tem ajudado em muitos afastamentos deste tipo, quando parentes são obrigados a se afastarem por diversos motivos ou por diversos anos das pessoas que lhes são queridas.

Estes afastamentos, criam emoções muito fortes em cada um de nós.

Um dos "afastamentos" mais sentidos é o dos pais que hoje estão longe de seus filhos. Novas famílias, compromissos profissionais ou até mesmo outros motivos que fazem com que a pessoa viva longe da outra.

Alguns destes afastamentos levam anos para terminarem e quando as pessoas se encontram novamente, todo o coração de enche de vida, se enche de emoção. Dias inteiros são pouco tempo para refazer o tempo perdido, os assuntos a serem abordados ou os conselhos a serem ouvidos dos pais para os filhos requer muito tempo. Nestas ocasiões o contato e a presença do nosso "afastado" apaga todo o sentimento de distancia que pode ter ocorrido.

Pode-se perceber muito desta emoção do encontro no carinho, na alegria que nossos parentes nos recebem nos finais de semana, ou no almoço em família e pode-se também perceber que, na maioria das vezes a separação, mesmo que não tenha passado de alguns dias, causou saudade.

Mas, existem outras separações ainda mais significativas e que não são físicas, e nem é necessário que pais e filhos estejam em outra cidade ou outro país para se sentirem separados. Existe a "Separação Presente", um mal que esta cada vez mais comum nos muitos casos que temos visto ou ouvido falar.

Esta "ausência" é causada pelo poder que temos de pensar que somos exclusivos em nós mesmos, ou egocêntricos para ser mais forte e preciso.

Não compartilhamos os nossos sentimentos, não achamos que eles sejam importantes para as outras pessoas, e nem nos importamos com as outras pessoas ou seus sentimentos. Um péssimo hábito que nem sempre percebemos em nós até que uma "queda" nos faça enxergar e  rever nossos conceitos. Em alguns casos, esta descoberta pode ser tarde para "repor" lembranças em apenas alguns dias ou em um almoço familiar.

Parentes próximos são especialistas em deixar de frequentar o coração um do outro.

Minha experiência com esta emoção se viu aguçada quando fui convidado a participar de um grupo de amigos de infância em uma Rede de Relacionamento e revi vários deles. Lembramos nossas passagens de criança, os velhos casos e passagens. Conversei com pessoas a muito afastadas e que eu nem mais conhecia seu paradeiro. A lembrança dos tempos passados, da infância, da adolescência e até mesmo de minha vida adulta  trouxe a tona a minha consciência de que, por muitos momentos, eu teria esquecido destes tão queridos amigos, e me faz refletir que também tenho ou já tive, a mesma atitude de "afastamento" que tive com estes amigos, tive também com meus parentes mais próximos.

Por diversas  vezes, negligenciei meus sentimentos, mesmo sentindo falta, deixei de comparecer a muitos encontros familiares por estar ora ocupado demais com minha vida profissional, ora cansado demais pelos meus compromissos profissionais ou até mesmo outros compromissos menos importantes.

Vendo tantos amigos e no modo como existia em cada um a ânsia de ter notícias uns dos outros, conhecer detalhes, discutir detalhes, percebi o quanto as pessoas, que eu talvez tenha esquecido, sentiram "saudades".

E meus familiares? Quantas vezes eu fui o ausente em suas vidas? De que forma eu fui ausente? Quero repor este tempo, quero matar a saudade, quero saber de você. ( Uma constatação que veio com as minhas lembranças).

Reflita na forma como você esta se relacionando com seus entes mais queridos, veja abaixo um excelente vídeo que mostra muito bem um exemplo de "presença ausente" e depois, por favor, corra para abraçar, corra para beijar.

Alguém, pode estar sentindo muita falta de você.

Bom domingo.

Veja este vídeo sensacional

Comentários (3) Trackbacks (1)
  1. Oi Waltinho , enquanto estivermos vivos há sempre tempo de recuperar, quando em certos momentos, nós nos afastamos com certeza, é porque não estamos bem conosco mesmo! o que pode trazer conflitos ao invés de alegria, qdo isso passa, então estamos prontos, para recomeçar o reencontros sem medo, to compartilhando,uma experiencia pessoal, pode ser que com vc houvesse outras razões, de qualquer forma esse grupo esta servindo para resgatar as raízes e fortalecer os laços de Amizade!
  2. Waltinho, lendo esta reflexão familiar,passou um filme na minha cabeça! Onde estão meus colegas de Faculdade? criamos laços tão fortes na época e o tempo foi passando e tudo que você escreveu foi acontecendo. Parabéns, e o mundo seria tão melhor se as pessoas se amassem mais...se unissem.O grupo Pluri está resgatando tudo isto não é mesmo??? e família é fundamental em nossas vidas. Abração,Dalva Machado.
  3. Como é bom ler tudo que você escreve,tudo tem um toque especial,de amor,carinho,saudades e grandes emoções.Temos muitas lembranças e hoje através do Grupo Cruzeiro estamos revendo grandes amigos e fazendo também grandes amigos.Sinto-me muito e muito orgulhosa de você.Te amo demais.Um grande beijo

Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email
Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados