12    jan 20112 Comentários

Por trás da foto

Vamos ver se eu acerto. Você é o webmaster que reclama de que seus parentes não colocam em sua árvore as fotos que possam identificá-los. Acertei?

Quase todos nós somos assim, e não dá mais para contar o número de vezes que a recomendação "não esqueça de colocar as fotos..." já foi inserida nos emails que escrevemos para os membros do site.

Um cobrança desleal.

Conte as suas fotos e compare com as fotos de outros parentes. Será que você é o quem tem mais fotos? Se for parabéns, você é um caso raro, mas, na maioria das vezes o webmaster é o personagem mais enigmático da árvore toda. Tem só a foto do perfil, uma ou outra foto  em uma festa e olhe lá.

Geralmente quem começa a fazer uma árvore genealógica já tem o perfil de uma pessoa muito ligada a sua família e esta ligação sempre leva a alguns padrões comportamentais já conhecidos, ou seja, algumas características bem peculiares de uma pessoa que pensa primeiramente nos outros e esquece-se de si.

O perfil dos outros membros é mais importante que o próprio perfil e as fotos rotuladas não fogem a esta regra.

Minha avó Lourdes era uma  pessoa eu só vi os seus cabelos brancos meses antes dela falecer, pois ela parou de pintá-los, sua vaidade era conhecida por todos e se não fosse necessário usar o espelho ela não usaria para não ver as marcas do tempo. Fora este detalhe era tudo que eu como neto esperava de uma avó. Assim como o espelho, se você quisesse afastá-la e sumir de uma sala, bastava entrar com uma máquina fotográfica. Ela odiava fotografias. Em fotos coletivas já sabíamos, ela procurava os mais altos para poder entrar atrás e em muitas fotos deste tipo, ora vemos um pedaço do cabelo cinza prateado, ora vemos o braço, ou seja, o registro dela na passagem do tempo, parou, em fotos da adolescência quando ela tinha um rosto lindíssimo. Manias.

Eu era o fotografo da família e fotografa-la se tornou primeiramente uma meta, depois uma obsessão. Fiz o impossível para registrar seu rosto e depois de muito custo, ela cedeu e talvez as fotos que alguns tenham sejam estas feitas por mim.

Outro dia, repreendi meu filho, pois enquanto víamos fotos de sua infância, ele teve a coragem de  me perguntar por que é que eu nunca ia ao parquinho, as festas e locais onde ele havia tirado aquelas fotos. Imediatamente, e ofendido, retruquei que mesmo que a memória dele não tinha guardado lembranças, o fotografo daquelas fotos era eu.

Depois desta ocorrência, concordei com ele e pude perceber que como fotografo eu tinha participado muito de suas lembranças, mas pouco de suas brincadeiras, e eu nunca apareço nos seus momentos de sorrisos, choros, passeios e diversão. Eu era o fotografo.

Decidi me deixar fotografar, afinal, um de meus filhos é profissional em fotografia e agora eu não posso perder a oportunidade de deixar o registro de minha pessoa e de ser fotografado por um grande fotografo. Vou aparecer nas fotos, mesmo que tardiamente.

Da mesma forma que fotografei meus filhos com meus pais, quero que eles possam fotografar seus filhos com o pai deles e com uma vantagem adicional, podemos tranquilamente trocar os papeis e ambos seremos a presença nas recordações dos novos membros da família.

Mas vamos voltar a caso de minha avó Lourdes. Como foi que eu consegui com que ela concordasse em ser fotografada? Insistência, perseverança, paciência e audácia. Estes são requisitos básicos do fotografo de família.

Não é só escolher um bom angulo, é necessário também saber quais as pessoas em uma festa que devam ser fotografadas juntas, para que no futuro possam juntas " relembrar" o momento.

Esperar pelo momento da fotografia pode levar muito tempo, o mais correto é juntar as pessoas pedindo para que elas posem para foto e deixar bem claro que elas estão sendo fotografadas. Pergunte para elas se alguém mais deveria participar daquela imagem e espere até que o grupo esteja completo. Verifique se todos os rostos vão ser vistos e não precisa correr, pois as pessoas irão esperar você terminar para sair da posição. Quer fazer um teste? Fale que as pessoas da lateral da foto que elas não estão aparecendo e você conseguirá colocar todas as sardinhas dentro da lata. Todos vão querer aparecer.

Se você pretende fazer fotografias boas é necessário que esteja bem equipado, pois a coisa mais irritante para quem esta sendo fotografado é manter o sorriso "XXXXXX" enquanto o fotografo muda de lentes, troca de flash, ou pente de memória. Na minha época era necessário trocar o filme da máquina e eu desenvolvi técnicas de trocar o filme com muita rapidez e treino.

Dica Adicional: Fotos de celulares não guardam muitos detalhes e são melhores se você não fotografar grupos a noite e sim os rostos das pessoas, ampliando os detalhes. São mais eficientes durante o dia para fotografias de corpo inteiro.

Fotografo não tem corpo, somente olhos.

Não se intimide se for necessário arrumar um cabelo ou o nó de uma gravata da pessoa a ser fotografada, ela vai agradecer, pois quem  esta sendo fotografado tem a necessidade de olhar em um espelho para se "arrumar" para a foto e espera que o fotografo seja este espelho.

Coragem. Se você tirou a máquina da bolsa, as pessoas já sabem que você vai tirar fotografias, e posicione -se nos melhores lugares para captar o momento. Somente  três lugares não podem ser ocupados em uma casamento, o lugar do noivo, da noiva e do celebrante.

Não corra risco e aqui existem dois, o de você se acidentar ou não poder tirar a foto desejada por falta de autorização das pessoas. Em alguns casos, peça antecipadamente para as pessoas e se houver a recusa, aguarde o momento para ser "insistente" .

São pequenos detalhes que você não deve se esquecer se pretende tirar boas fotos de registro de família, espero que você tenha gostado, e para finalizar só queria falar que tirei boas fotos da minha avó Lourdes, mas... nenhuma com ela. Não se esqueça disto.

Fotos : dailyartcocktail

Comentários (2) Trackbacks (0)
  1. pois é, Dia 08 de janeiro, no Brasil, é comemorado o Dia Nacional do Fotógrafo e Dia Nacional da Fotografia. O texto está bem atual, tanto para a comemoração,m quanto pelo assunto. Tirei muitas fotos de parentes, mas não saí em nenhuma! Isso que dá ser o fotógrafo "oficial" de qualquer festa!.
  2. Ser fotografo é muito mais que não aparecer na foto...
    Ser fotografo é registrar, olhar e emocionar.
    Buscar e revelar sentimentos dos mais ou menos favorecidos.
    Ser fotografo é ensinar e aprender que a cada clique você, fotografo, esteve e enquadrou um momento unico de alguém.

Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados