24    dez 20101 Comentário

Natal

Um menino em uma manjedoura, os pais do menino, o burrinho, a vaquinha, ovelhas e pastores.

Árvores enfeitadas, música natalina, roupas novas, presentes e alguma coisa colocada a mesa. É a imagem do Natal em símbolos e sinais.

Aprendemos isto desde bem pequenos, aprendemos isto de forma condicional.

O Natal é tudo isto, não tenha dúvida, mas, é muito mais se entendermos a grande mensagem do Natal que em algumas mentes e almas se perdeu no tempo.

Uma história:

Um jovem, cheio de raiva, bufando palavrões, ameaçando todos com as palavras, agindo como a tresloucado recebeu a visita de um dos avós. O avô lhe trazia um presente. Um presente de Natal.

O jovem, sem agradecer, rasgou o embrulho e viu, um pedaço de madeira, um martelo e e alguns pregos.

-Velho maluco. Disse sem esconder a voz. - O que eu vou fazer com isto? Sem dúvida um caixão para você.

- Não gostou? Falou o velho. - Este pedaço de madeira, são as pessoas, os pregos a ofensa que você dirige a elas e o martelo é você.

-Aproveite e já que você usou a sua boca para me dirigir uma ofensa, pregue um dos pregos na madeira.

O jovem rindo debochadamente, usando o martelo, pregou um dos pregos na madeira, e tão violentamente que o prego atravessou a madeira, arrancando pedaços do outro lado.

O velho então disse:

-Excelente! Você aprende rápido. Agora, a cada ofensa, faça a mesma coisa que você fez com o primeiro prego.

Pouco depois, motivado pela brincadeira, o jovem voltou diante do velho e mostrou a madeira totalmente pregada, e perguntou.

- Que legal, agora que eu já preguei a madeira, qual lição idiota você vai querer me mostrar?

O velho então, mostrando a madeira, disse:

- Retire os pregos da madeira, usando o martelo.

O jovem o fez.

- Pronto. Disse o velho. -Eis ai a lição.

- Qual? Perguntou o jovem.

-A madeira continua cheia de furos dos pregos que você colocou.

-Não entendi. Disse o jovem.

-As pessoas, mesmo que você um dia lhes peça perdão, ainda terão suas almas marcadas pelo ato que você cometeu e carregarão para sempre estas marcas, os furos dos pregos. Existe uma maneira de não marcar a madeira com os furos, é nunca usando o martelo e o prego e isto se chama Respeito. Só existe uma maneira de fechar os furos da madeira e a única maneira é a própria madeira fazê-lo, isto se chama AMOR.

Lembrei desta história ao lembra-me que um dos pais daquele menino na manjedoura era um carpinteiro.

Mas a grande mensagem do Natal esta no outro pai daquele menino, o Pai do Céu, que, por AMOR, enviou seu filho. Este Pai, é a madeira que tantas vezes usamos o nossos pregos e martelo para perfurar. Este Pai é perfurado a cada vez que também usamos o nosso martelo, contra Ele ou contra qualquer um. O Natal é maneira amorosa que este Pai encontrou para consertar madeiras.

Neste dia, existe em cada um de nós o Espírito do martelo e ao mesmo tempo o Espírito da madeira. Neste dia, em nós existe a vontade de pedir desculpas pelos nossos erros e também existe a vontade de desculpar as ofensas recebidas.

Tanto no martelo, quanto na madeira o Espírito do Natal se chama PERDÃO.

Feliz Natal!

Comentários (1) Trackbacks (0)
  1. Linda história!

Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados