15    jul 20100 Comentário

Um pequena notável

Poderíamos chamá-la de bebê se ela não tivesse agora mais de 40 mil anos.

Mas Lyuba agora é uma das mais importantes relíquias da ciência. Um bebê mamute em perfeito estado de conservação, que ainda preserva carne e ossos e material genético suficiente para esclarecer um dos maiores enigmas da ciência. O porque que esta espécime foi extinta.

Lyuba, não teve o que diríamos, um descanso eterno. Para contar a história, imagine uma manada destes animais caminhando pelas tundras (terreno encharcado e gelado) da atual Sibéria e,  nesta manada uma pequenina fêmea,  nascida no inverno que passou, acompanhava a mãe em busca de alimento. Derrepente, esta garotinha escorrega no chão lamacento e cai dentro de bolsão de água e uma mistura de argila e gelo que formou uma gosma pegajosa. Desesperada, se debate e cada vez mais seu peso a empurra para o fundo, engole argila e tenta vomitar, mas já é tarde. O mesmo material que causou-lhe a morte, foi o responsável pela sua preservação, pois evitou que o oxigênio atuasse na decomposição de seu corpo. Ácidos lácteos produzidos por bactérias presentes em sua pele, produziram o conservante.

O solo, e  junto o pequeno bolsão, se transformou em permafrost, (terra, gelo e sedimentos calcários), escondendo o corpo de Lyuba para que 40 mil anos depois, em 2007, um pastor de renas se aproximasse da beirada de um rio e a encontrasse, e mesmo sem identificar aquele animal estranho, pode imaginar, pois ainda se lembrava das imagens que tinha das histórias contadas pelos seus ancestrais sobre aqueles magníficos mamonts que habitavam aquela região e misteriosamente desapareceram.

Como ela foi aparecer na beira do rio? Semanas antes uma brusca mudança de percurso do rio, lavou os sedimentos onde Lyuba estava em seu repouso, arrastando o corpo para o rio e o forte cheiro do ácido lácteo, afastou outros animais que pudessem devorá-la.

Cheio de temor pelas lendas contadas  pelos antigos que tocar um mamute iria trazer a ele uma morte prematura,  pois tratavasse de um espírito que vagava pelo mundo subterrâneo, afastou, sem tocar o animal, e foi em busca de ajuda de uma amigo que, diferente dele, conhecia o mundo exterior e que poderia orientá-lo. Ao contar a sua história, seu amigo, o enviou para uma viagem de 240 quilômetros até onde poderia falar de sua descoberta. As autoridades científicas do local, acreditando nele, convenceram o exército a levá-lo de volta ao local do achado de helicóptero. Qual não foi a surpresa ao chegar e não mais achar o cadáver da pequenina Lyuba. Perdida. Desaparecida.

Voltando para a aldeia o pastor de renas viu um grupo de turistas sendo fotografado ao lado do cadáver de Lyuba, agora uma atração circense para turistas, já na posse do dono de uma loja que comprou a carcaça pelo valor de duas motos e mantimentos para um ano. Com a ajuda da policia, Lyuba foi retirada do local, depois de ter parte do rabo e uma das patas mordidas por cães vira-latas. Hoje, depois desta incrível viagem, ela ainda viajou para a França e Japão para exames e uma necropsia que comprovou que mamãe mamute, alimentou muito bem a sua cria, pois a camada e gordura é bem espessa e Lyuba, não apresenta nenhum característica de subnutrição devido ao rigoroso inverno da região na época que ela estava viva.

Uma coisa, é certa, assim como Lyuba, vários outros exemplares e carcaças de mamutes já foram encontrados na região o que só confirma que muitos destes animais ainda continuam a pastar pelos subterrâneos como nas supertições e lendas contadas pelo povo da região. Este fator (terreno+condições de conservação) esta permitindo a ciência a desvendar segredos importantes. Agora, já é possível se procurar na sequência genética dos achados, uma justificativa para o desaparecimento da espécie, que até então só tinha um culpado, a presença do Homem como predador universal destes animais. Novas teorias podem levar  à conclusão deste mistério tirando das nossas costas a culpa por completo pela matança dos mamutes.

Nosso blog polonês (se necessário, use o google para traduzir) apresentou um interessante trabalho sobre este assunto, continue a se informar.

Para encerrar, vou contar um segredo, Lyuba é o nome da esposa de Yuri Khudi, o pastor de renas que salvou a bebê mamute.

Comentários (0) Trackbacks (0)

Sem comentários


Deixe um comentário

Enviar

Deixe um comentário
Insire um nome
Por favor introduza um endereço de email

Sem trackbacks

Sobre nós  |  Entre em contato conosco  |  Privacidade  |  Diga a um amigo  |  Suporte  |  Mapa do site
Copyright © 2014 MyHeritage Ltd., Todos os direitos reservados